10 dicas para comprar online sem problemas

(http://pcworld.uol.com.br/dicas/2012/12/14/10-dicas-para-comprar-online-sem-problemas)
Michael Homnick, PCWorld EUA e Rafael Rigues, PCWorld Brasil
Fazer as compras de Natal no computador é muito mais cômodo e prático, mas há perigos. Siga nossas dicas para ficar seguro.

Você precisa comprar alguns presentes de natal, e não tem muito tempo. Suas opções são: (a) encarar a loucura das lojas no fim do ano, repletas de crianças gritando e em um calor infernal ou (b) fazer as compras online, no conforto de sua casa, curtindo o ar-condicionado e uma limonada geladinha.

Nós escolheríamos a segunda opção. Somos adultos civilizados, e não estamos interessados em nos acotovelar em meio a uma multidão a não ser que absolutamente necessário. Infelizmente o mundo das compras online não é tão perfeito: é certamente mais rápido, mas também há riscos. Mas não se preocupe: temos a seguir uma série de dicas para você se manter seguro, e ainda assim terminar as compras a tempo.

Mantenha o navegador atualizado

Começamos pelo básico: não importa se você usa o Chrome, Firefox, Internet Explorer ou Safari, atualizar o navegador irá ajudá-lo a manter sua proteção em dia. Basta usar o Windows Update para dar conta do Internet Explorer. Já o Firefox e o Chrome tem um sistema de atualização automática.

Para confirmar que você tem a versão mais recente do Firefox, clique no botão laranja no canto superior direito da janela, clique no menu Ajuda e em Sobre o Firefox. No Chrome, clique no botão de ajustes no canto superior direito da janela e em Sobre o Google Chrome. Em ambos os casos, você será informado se uma atualização estiver disponível.

Instale proteção contra malware

Outra coisa a verificar antes de ir às compras é o software de segurança. Não faltam opções de utilitários, pagos ou gratuitos, dedicados a proteger seu computador de ataques. Soluções como o G Data Internet Security, Norton Internet Security e Bitdefender se saíram bem em nossos testes.

Os programas conta malware não podem protegê-lo de todos os ataques, especialmente os baseados em “engenharia social”. Mas nesses tempos modernos, é tolice não usar ao menos um mínimo de proteção.

Procure lojas e vendedores com boa reputação

Se você achou uma boa oferta em um site do qual nunca ouviu falar, é melhor fazer uma pesquisa antes de fechar a compra. Procure na internet as opiniões de outros consumidores, seja com uma busca no Google ou consultando amigos e conhecidos em uma rede social. Se ainda assim não estiver certo, não feche a compra e procure um site mais conhecido. É melhor pagar R$ 50 “a mais” em um produto e recebê-lo como anunciado do que perder tempo tentando reaver seu dinheiro por algo que não foi entregue no prazo ou não é o anunciado.

Fique de olho no cadeado

Uma loja boa loja tem que usar criptografia SSL para proteger seus dados no momento da transação. Com esta tecnologia apenas seu computador, e o servidor da loja, terão acesso às informações, protegendo-as de um eventual bisbilhoteiro no meio do caminho.

compraronline_cadeado-360px.jpg
O cadeado indica que o site usa criptografia para proteger seus dados

A maioria dos navegadores indica que o site usa criptografia SSL com o ícone de um cadeado ao lado da barra de endereços. Outro sinal é um endereço que começa com https://, em vez de http://.

Só divulgue as informações necessárias

Cuidado com sites “curiosos demais” sobre suas informações pessoais. Preencha só os campos necessários para completar o formulário de compra, geralmente marcados com um * ou com um título em cor ou fonte diferente. E preste atenção às perguntas: que motivo tem o site para perguntar o número da agência e de sua conta no banco?

Nunca informe seu número de cartão de crédito via e-mail

Sites legítimos nunca irão pedir via e-mail seu número de cartão de crédito. Ao contrário do que muita gente pensa, e-mails não viajam diretamente do remetente ao destinatário: eles passam por inúmeros servidores no caminho, criando muitas oportunidades para que um malfeitor intercepte a informação. Só digite o número em um formulário em uma página protegida com SSL (veja a dica anterior) em um site no qual você confia.

Use um serviço de pagamento

Serviços como o PayPal ou o PagSeguro atuam como intermediários entre o vendedor e o comprador. Você dá suas informações para o serviço, que faz a cobrança e repassa o dinheiro, mas não os dados do seu cartão, para o vendedor.

E em caso de fraude, como uma cobrança com valor indevido ou um produto que não foi entregue, a maioria dos serviços devolve o seu dinheiro.

Vai comprar usando um smartphone ou tablet? Cuidado com a origem do app e a conexão

Pra que ligar o computador se você pode fazer as compras num tablet ou smartphone? Usar um dispositivo móvel é certamente mais prático, mas há questões extras de segurança. Uma dica é usar sempre apps adquiridos nas lojas oficiais de sua plataforma (App Store no iOS, Google Play no Android). Antes de instalar o App, veja se o nome do autor é o mesmo nome da loja que ele supostamente representa, e dê uma lida nos comentários.

Por fim, nunca faça compras quando conectado a uma rede Wi-Fi pública e insegura. O risco de que um malfeitor esteja por perto “escutando” o tráfego de dados em busca de informações é muito alto, especialmente em locais muito frequentados como Shopping Centers e Cafés.

Compare, compare e compare de novo

O fim de ano é a época das promoções, mas também das falsas promoções. Não é raro comerciantes aumentarem o preço de um produto, digamos, no início de novembro e em dezembro oferecerem um "descontão" vendendo-o pelo que era o preço original antes do aumento. Antes de fechar a compra, compare os preços em outras lojas e não se esqueça de levar em conta o custo do frete na hora de comparar as ofertas. Se ele for alto, pode acabar anulando um eventual desconto.

Use o bom senso

Não há como um smartphone que custa R$ 2.000 numa loja no shopping mais próximo de sua cada custar R$ 400 online. Descontos existem, o que não existe é milagre. Nesse caso, a chance de você estar caindo em um golpe, seja comprando um “produto” que nunca será entregue ou uma versão pirata que não tem metade dos recursos e desempenho do original passa dos 100%. Lembre-se do que a vovó dizia: “quando a esmola é grande, o santo desconfia”.

Se algo parece suspeito, como um vendedor que se recusa a informar detalhes sobre um produto, preços bons demais ou uma foto que não combina com a descrição do item, a melhor coisa a fazer é sair correndo e procurar uma loja mais confiável.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s