-ROM, -R, +R, +RW? Entenda a “sopa de letrinhas” da mídia óptica

(http://pcworld.uol.com.br/dicas/2012/11/05/rom-r-r-rw-entenda-a-201csopa-de-letrinhas201d-da-midia-optica)
Lincoln Spector, PCWorld EUA
Explicamos os termos usados para identificar as tecnologias associadas aos diversos tipos de discos ópticos, de CDs a DVDs.

Tanto quanto nos discos rígidos, a mídia óptica é cheia de “sopas de letrinhas” que confundem qualquer um. Temos três tipos de discos (CDs, DVDs e BDs) com cinco diferentes “subtipos” entre eles. Há discos que você só pode ler, discos que você pode gravar e discos que você pode gravar, apagar e gravar de novo. E as siglas nem sempre ajudam.

Mas eu vou explicar tudo isso. Vamos começar com a sigla antes do hífen, que lhe diz o formato do disco.

CD: Compact Disc. Criado como um formato para distribuição de áudio digital, foi mais tarde adaptado para armazenamento de dados em computadores. Um CD armazena cerca de 700 MB, e um “drive de CD-ROM” só pode ler (ou às vezes gravar) CDs.

DVD: Digital Video Disc ou Digital Versatile Disc, dependendo de pra quem você pergunta. Fez pelo vídeo o que o CD fez pelo áudio. Cada disco comporta cerca de 4.7 GB, embora existam discos de “dupla camada” com o dobro da capacidade. um drive de DVD também consegue lidar com CDs.

BD: Blu-Ray Disc. Criado para ser o sucessor do DVD, permitindo a distribuição de filmes em alta-definição e armazenamento de quantidades muito maiores de dados: até 25 GB em discos de camada única. Os drivers também são compatíveis com CDs e DVDs.

A sigla depois do hífen diz o que você pode fazer com um tipo de disco ou drive:

-ROM: Do inglês Read Only Memory, ou “memória somente para leitura”. Não é possível gravar em discos deste tipo, apenas ler as informações pré-gravadas durante a produção numa fábrica. Da mesma forma, um drive ROM pode ler discos mas não pode gravá-los, e não pode usar mídia virgem.

-R: Do inglês Recordable, ou “gravável”. Se você também tiver um drive -R, pode gravar nestes discos. Mas apenas uma vez. Depois que a gravação estiver terminada o disco se comporta como um -ROM, e as informações não podem ser modificadas.

-RW: Do inglês Rewriteable, ou “regravável”. Discos deste tipo podem ser gravados, apagados e reutilizados, desde que você também tenha um drive RW.

– RE: Do inglês Recordable Erasable, ou “gravável e apagável”. É a variante do -RW para Blu-Ray, mas funciona da mesma forma.

Também há alguns outros termos que você deve conhecer.

Burn, ou Queimar: O ato de gravar um disco. Tem esse nome porque o laser literalmente “queima” a camada metálica do disco durante gravação, criando os padrões de ilhas e pistas onde são codificadas as informações.

DVD+R; +RW; ±R, ±RW: Há dois padrões para DVDs graváveis, o DVD-R e DVD+R, cada qual com um equivalente regravável (-RW e +RW), que exigem tipos diferentes de drives e discos. O símbolo ±, que você encontra apenas nos drives, significa que ele é capaz de gravar e ler tanto discos -R/RW quanto +R/RW. Praticamente todos os drives vendidos atualmente são ±R/RW, tornando a diferença entre os formatos irrelevante.

DL: Dual Layer. São DVDs e BDs com quase o dobro da capacidade dos discos normais. Um DVD DL pode armazenar quase 9 GB, e um Blu-Ray quase 50 GB. Para gravar discos DL você precisa também de um drive DL. Qualquer drive de DVD ou Blu-Ray consegue ler discos DL.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s