Mais 5 erros comuns durante o upgrade de um PC

(http://pcworld.uol.com.br/dicas/2011/08/12/mais-5-erros-comuns-durante-o-upgrade-de-um-pc)
Robert Strohmeyer, PCWorld EUA

Atualizar o hardware de seu PC é fácil, mas há uma forma certa e uma forma errada de fazer as coisas. Aqui estão 5 upgrades onde a maioria das pessoas erra, e dicas de como acertar

PCs estão ficando mais poderosos e fáceis de usar, mas os desafios relacionados a um upgrade se mantiveram praticamente os mesmos. Para um novato, uma simples troca de HD pode parecer algo amedrontador. Já para o usuário experiente a troca em si pode ser fácil, mas é ainda mais fácil ignorar fatores que poderiam simplificar todo o processo e proteger melhor o hardware e os dados armazenados nele.

No artigo “5 upgrades do PC onde quase tudo mundo erra” eu explorei alguns dos erros mais comuns durante um upgrade. Neste, iremos observar os detalhes que são mais frequentemente ignorados em tarefas como a transferência de arquivos para um novo HD, instalação de uma placa de vídeo, atualização da BIOS do PC, configuração de uma rede Wi-Fi e como impedir que a validação do Windows arruine um upgrade que de outra forma seria um sucesso.

Leia também
Seis formas de reaproveitar um notebook antigo

Transfira dados do jeito fácil

No artigo anterior eu mencionei os erros mais comuns cometidos durante uma troca de HD. O que não mencionei foi a forma mais comum de perder tempo no processo: a transferência dos dados. Copiar os arquivos de um HD velho para um novo pode levar horas e horas mesmo sob condições ideais, e escolher o método errado pode aumentar o tempo necessário para alguns dias.

Fabricantes como a Seagate e a Western Digital incluem com seus discos ferramentas que facilitam o processo. No caso da Seagate ela se chama DiscWizard: você a instala no PC antes de remover o HD “velho”, e pluga o novo ao micro usando uma gaveta USB ou um adaptador SATA/IDE para USB (mais barato).

Rode o programa, e quando o processo estiver completo simplesmente desligue o PC e troque os discos. O software Acronis True Image, que acompanha os HDs da Western Digital, funciona basicamente da mesma forma.

Se você vai usar um HD que não vem com um utilitário de clonagem de brinde, pode comprar uma cópia do Acronis True Image por US$ 30, com entrega via download. Ele funciona com HDs de qualquer fabricante.

Não se esqueça da BIOS

Conheço vários usuários de PCs que estão constantemente trocando processadores, memória e placas de vídeo, mas que raramente dão atenção a um dos componentes mais fundamentais do PC: a BIOS. Ela é o software básico (tecnicamente o “firmware”) que diz ao computador como inicializar o hardware, procurar por HDs, verificar a memória e por aí vai. Assim como em outros componentes, os fabricantes frequentemente atualizam a BIOS de seus produtos para adicionar suporte a novos padrões, novos recursos ou corrigir bugs.

Se você está usando o mesmo PC (ou a mesma placa-mãe) já há alguns anos provavelmente passou da hora de fazer uma atualização da BIOS. Isto é especialmente importante para quem está adicionando ao computador HDs de alto desempenho, placas de vídeo topo de linha ou o mais recente processador. Mas uma BIOS atualizada pode reduzir o tempo de boot do PC mesmo sem qualquer outro upgrade.

Para saber se a BIOS está atualizada, verifique o número da versão que aparece brevemente (por apenas alguns segundos) quando o computador liga, ou execute o utilitário “Informações do sistema” (clique em Iniciar, digite msinfo32.exe no campo de pesquisa e tecle Enter) e observe o item Versão/data do BIOS em “Resumo do sistema”.

Sabendo a versão da BIOS, visite o site do fabricante de seu PC ou placa-mãe e procure na seção de “suporte” uma atualização. Elas geralmente são organizadas por data, então fica fácil saber se há uma para você ou não. Só certifique-se de que você está na lista para a placa-mãe ou PC certos, já que instalar uma BIOS errada em um PC pode causar uma falha catastrófica (se bem que, na maioria dos casos, o software simplesmente irá avisar que seu hardware é incompatível e se recusar a prosseguir).

O processo de atualização varia de acordo com o fabricante. Alguns tem um utilitário que roda dentro do Windows, em outro é necessário copiar os arquivos para um pendrive ou CD e iniciar o PC a partir deles. Em qualquer caso, NUNCA desligue o computador ou interrompa o processo antes ele ser concluído, já que isso pode danificar a BIOS e impedir que seu PC funcione corretamente.

Evite incidentes com a placa de vídeo

Com exceção do processador, as placas de vídeo são o componente mais suscetível a erro humano. Isso acontece porque a tecnologia muda rapidamente à medida em que fabricantes desenvolvem novas formas de satisfazer a demanda de gamers cada vez mais exigentes.

Um upgrade da placa de vídeo pode dar errado de basicamente quatro formas:

» Barramento errado
» Conector de força errado
» Tamanho errado
» Sistema operacional errado

Se voce está procurando uma placa de vídeo nova. certifique-se de que seu PC irá suportá-la em todos os quatro quesitos. O primeiro é o barramento: PCs mais antigos usam uma interface AGP para conexão de placas de vídeo, em vez do moderno barramento PCI-Express. Algumas placas estão disponíveis em ambas as versões, então olhe com atenção a caixa ou descrição do produto antes de comprar.

PCs mais velhos ou modelos de baixo custo tem fontes de alimentação fracas, que são incapazes de atender à demanda das atuais placas de vídeo de alto desempenho. Observe o consumo de energia e o tipo de conector usado antes de comprar, e certifique-se de que a fonte de alimentação de seu PC dá conta do recado. Se não, você precisará trocá-la. Nem pense em “dar um jeitinho” e instalar a placa mesmo com uma fonte fraca: você irá queimar a fonte, e se der azar pode levar junto algum outro componente do PC.

Outro problema comum: certifique-se de que a placa cabe no gabinete do seu PC antes de comprá-la. Usuários de PCs com gabinetes “slim” costumam ser vítimas desse erro.

Por fim, verifique se a placa tem drivers compatíveis com o sistema operacional de seu PC. A Microsoft e os fabricantes de placas lançam constantemente novas versões de seus produtos, mas nem sempre estão em sincronia e as placas mais recentes podem simplesmente não ter drivers para versões mais antigas do Windows, como o XP.

Se você tiver que reativar o Windows…

Depois de um upgrade de hardware o Windows pode pedir uma reativação da licença junto à Microsoft. É a forma que a empresa encontrou para reduzir a pirataria e – embora seja um incômodo para quem faz upgrades frequentes – não deve ser um problema na maioria dos casos.

Na ativação inicial toda licença do Windows é registrada em um banco de dados da Microsoft (e em seu PC) junto com informações básicas sobre a máquina como tipo da placa-mãe, do processador e da placa de vídeo, entre outros, além dos números de série de alguns componentes e outros dados. Isto é uma espécie de “impressão digital” de seu PC, e o Windows a compara à configuração atual do hardware a cada vez que você liga o computador. Se certos elementos (ou muitos deles) mudarem, o Windows irá pedir para você reativar a licença.

Na maioria dos casos, o processo consiste em nada mais que clicar no botão “Ativar agora” na tela do PC. Talvez você tenha de redigitar o código de licença que veio com sua cópia do Windows. Mas se você trocar um componente crucial, como a placa-mãe, pode ser necessário telefonar para a Microsoft para reativar o sistema. Não se preocupe: basta explicar o que foi feito e os atendentes resolverão o problema rapidinho.

Evite erros comuns na migração do Wi-Fi

Ao longo da última década redes sem-fio domésticas passaram de tecnologia de ponta a necessidade básica em todo lar moderno. Mas alguns dos erros mais comuns nos acompanham desde o começo.

O pior deles é instalar um roteador e começar a usá-lo sem mudar uma única configuração sequer, incluindo a senha da interface de administração. Isto é assustador, já que deixa a rede aberta para que possa ser controlada por qualquer um que estiver ao seu alcance.

Um erro ainda mais comum é não atualizar o firmware do roteador. A maioria dos modelos inclui um botão na interface para procurar e instalar automaticamente novas versões do firmware, e ainda assim poucas pessoas o usam. As atualizações são importantes, pois além de melhorias de estabilidade e desempenho, podem trazer correções para falhas de segurança que deixam a rede exposta ou vulnerável a ataques de terceiros.

Na maioria dos casos o upgrade consiste em clicar no botão e esperar alguns minutos enquanto o firmware é baixado e instalado. Deixe o roteador sozinho durante esse processo, e depois de um rápido “reboot” ele está pronto para uso.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s