Gadgets luminosos no quarto põem em risco o sono e a saúde

(http://idgnow.uol.com.br/computacao_pessoal/2011/02/24/gadgets-luminosos-no-quarto-poem-em-risco-o-sono-e-a-saude)
Por Computerworld/EUA

Pesquisas apontam que miopia, obesidade e até depressão estão associadas à exposição a fontes de luz, como os LEDs, durante o repouso noturno.

Ao desligar as luzes de meu quarto à noite, uma pequena fonte luminosa continua derramando lúmens. É a nave da série Guerra nas Estrelas que tenho em minha estante. Não, não sou nenhum aficionado por ficção científica, mas há alguns gadgets que gosto de ter.

Mas essa não é única luz a quebrar o véu de escuridão que toma conta de meu quarto à noite. As luzes do PC, seis no total, espalham, mesmo que tímidas, luzes amarelas, verdes e vermelhas. O LED do estabilizador também não me deixa esquecer que está tudo bem. Toda a parafernália está ligada a um no-break. Desnecessário dizer que este exibe orgulhosamente um botão vermelho luminoso do tamanho de uma moeda das grandes.

Vez por outra, minha esposa traz para casa o seu laptop profissional, um MacBook. No canto do quarto, em cima de uma estante, ele fica carregando as baterias junto de seu colega, o Dell que ela usa em casa. Cada um desses dispositivos tem sua maneira luminosa de informar que está tudo funcionando. Uns piscam, outros acendem por um período, esmaecem, e voltam à vida como se algo tivesse acontecido.

À frente da cama, outro conjunto de luzes e relógios LED se exibem. É o conjunto formado por TV, DVD, Blu-Ray e relógio despertador – uma festa para qualquer um com complexo de vagalume.

Há quatro anos, escrevi uma coluna aqui nesse mesmo espaço sobre a incrível chateação proporcionada por essa iluminação dos gadgets e como era chegada hora de acabar com isso de uma vez por todas.

É claro que não esperava receber telefonemas das empresas fabricantes de dispositivos com promessas de atender minha sugestão, mas não precisavam piorar ainda mais o que já estava ruim. Precisavam?

Para minha grata surpresa, depois de publicado o artigo, começaram a surgir pesquisas dando conta de que as luzes emitidas por dispositivos são maléficas para o sono.

Mais gordos, mais tristes
Uma pesquisa conduzida com ratos pela universidade de Ohio revelou que mesmo a menor fonte de luz no quarto durante os momentos de sono pode levar à depressão. Um outro estudo revelou que dormir em ambientes iluminados aumenta a sensação de fome durante o dia, ou seja, engorda.

Para o público feminino, as notícias são ainda piores. O Instituto Nacional de Câncer e de Problemas de Saúde dos EUA, informam que as chances de desenvolver um câncer nas mamas aumenta quando o corpo não é exposto à escuridão durante o sono. Ocorre que o hormônio melatonina, responsável por combater células cancerígenas, só é produzido em condições de escuridão total.

Para crianças e recém-nascidos a escuridão é necessária durante o sono porque o ambiente iluminado em momentos de repouso propicia a formação de miopias. Entre os bebês que dormem em ambientes escuros, 10% acabaram usando óculos. Já no caso de crianças expostas às fontes de luz, mesmo que mínimas, essa taxa é catapultada para a casa dos 55%.

Luzes tóxicas
Os minúsculos LEDs embutidos em telefones celulares, computadores e outros dispositivos são todos feitos usando uma tecnologia que é apresentada ao mundo como sendo amiguinha do meio ambiente. Mas um estudo recente conduzido pela Universidade da Califórnia informou que as luzes LED contêm substâncias maléficas à saúde, entre elas arsênico, níquel e chumbo.

De acordo com cientistas da instituição, a luminosidade é proporcional aos potenciais danos à saúde. Luzes coloridas são mais danosas que as brancas. No caso de LEDs vermelhos, foram encontradas quantidades de chumbo oito vezes superior à contida em bulbos brancos. Na Califórnia, LEDs vermelhos são proibidos por causa disso.

O perigo, segundo pesquisadores, acontece quando um LED se rompe. “Nesse caso, é melhor você ter sua roupa de proteção própria”, diz um pesquisador.

É o que acontece em acidentes de trânsito. Como resultado da colisão, os leds embutidos no painel explodem, junto com as luzinhas de outros dispositivos afetados pelo choque. O perigo é redobrado em casos de lâmpadas de semáforos munidos a luzes do tipo LED. Estes, quando se quebram, liberam uma quantidade bastante significativa de material altamente tóxico no ar.

Calcule o processo de reciclagem desses dispositivos. Em um barracão sem qualquer higiene na China ou em outro país, crianças desmontam ininterruptamente centenas de gadgets ultrapassados ou quebrados para retirar-lhes os gramas de material precioso contido no interior de seus circuitos.

O que fazer?
Uma luz insignificante em um gadget apenas não irá fazer a diferença fundamental. O problema é quando uma boa dezena dessas luzes invade o quarto, o escritório, o banheiro e outros ambientes. Além de desnecessários, esses faróis indesejados podem causar um incrível dano à saúde.

O antídoto é absolutamente óbvio: livre-se dos gadgets desnecessários no quarto quando for dormir. Uma tira de fita isolante sobre os displays menos relevantes é outra alternativa. Afinal de contas, nem sempre você fica de olho no cronômetro de DVD players. Alguma coisa nos diz quando o filme está pausado ou não, estarei certo?

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s