Migração de desktop Windows para Linux: Como fazer?

(http://idgnow.uol.com.br/computacao_corporativa/2011/01/28/migracao-de-desktop-windows-para-linux-como-fazer)
Por PC World/EUA

Apesar de todos os motivos que fazem do Linux uma opção atraente para empresas, a mudança implica em mudança – e nem todos gostamos disso.

Liste os principais motivos que levam uma migração a falhar e você terá, entre as principais razões, a grande resistência às novas rotinas no uso do sistema. O mito do “é difícil” parece dominar a mente dos usuários.

A verdade, porém, é outra; se pensar bem, também demorou para você se acostumar com o sistema que utiliza agora.

Lá vão algumas dicas de como lidar melhor com a mudança de sistemas operacionais.

1. Garanta o apoio da direção
Desnecessário dizer, não? Se a gestão de TI for capaz de arregimentar executivos de alto escalão dentro da organização para apoiar a mudança, poderá encontrar menor resistência entre os colaboradores com medo do pingüim.

2. Qual distribuição escolher?
Antes de tudo é necessário descobrir a distribuição acertada entre as centenas de versões do software livre disponíveis no mercado. É importante atentar para as habilidades os usuários, para os conjuntos de hardware da empresa e qual será a aplicação. Também devem ser levantadas as opções de suporte disponíveis para cada distribuição.

No caso de usuários com nenhuma experiência no sistema Linux, a sugestão é adotar distribuições como Ubuntu ou a Linux Mint – a não ser que existam sérios motivos para não partir para tais distribuições, vale a pena avaliar essas plataformas.

Se a dependência de sistemas Windows for enorme, a distribuição Zorin OS reproduz a interface a e dinâmica do sistema das janelas da Microsoft. As distribuições Slackware ou Arch Linux, são aconselhadas apenas para usuários com extensa experiência em sistemas Linux.

Se não tem certeza de que distribuição é mais acertada, pode consultar o site da Zegenie para fazer uma avaliação gratuita de qual distribuição é a mais apropriada para você e sua empresa. O teste ocorre online e leva poucos minutos.

3. Escolha a interface apropriada
A enorme variedade de interfaces gráficas para sistemas desktop Linux traz diferentes recursos. Na distribuição atualmente mais conhecida, Ubuntu, a interface padrão é a GNOME, mas existem outras como o KDE.

É aconselhado experimentar as diferentes interfaces antes de tomar uma decisão. Todavia, migrar entre as interfaces não traz qualquer problema maior, pois são apenas atalhos dos comandos normalmente executado nas linhas de comando, com exceção para os aplicativos que rodam apenas no modo gráfico.

4. Aplicativos
Provavelmente muitos dos aplicativos usados na corporação atualmente sejam de plataformas diferentes. Para adiantar o processo de migração, é sugerido que se comece a introduzir novas interfaces aos usuários.

Se estes, por exemplo, estão acostumados a usar o Internet Explorer, pode ser uma boa tática apresentar-lhes os browsers Chrome ou Firefox enquanto ainda operam os sistemas Windows.

Como a suíte Microsoft Office não é disponível para a Plataforma Linux e usar o emulador de Windows Wine para dar conta do uso desse pacote implica em mais um aplicativo que consome memória considerável, é aconselhado iniciar programas de capacitação no uso do OpenOffice.

Assim que a migração do Windows para o Linux estiver completa, os colaboradores sentirão pouca diferença entre os ambientes.

5. Não pressionar
Assim que decidir experimentar o sistema Linux, é aconselhado que seja instalada uma máquina para fins de teste com todos os aplicativos pretendidos. Esse PC pode ser posicionado dentro da empresa e ser de livre acesso dos colaboradores.

Uma boa opção é deixar alguns joguinho instalados para não fazer do sistema uma tortura. Incentivar que os funcionários deem uma “brincada” no sistema para perder o medo e, principalmente, informarem o que lhes agrada ou incomoda no sistema é altamente aconselhado.

6. Um guia de uso
Essencial para auxiliar os colaboradores na hora de realizar as tarefas que rotineiramente executavam no Windows.

Simples assim como: Em vez de usar o Internet Explorer, use o Chrome ou o Firefox; ou, para editar textos, clique no ícone OpenOffice de sua área de trabalho.

Se a tarefa de preparar a migração parecer muito complicada, sempre poderá lançar mão de serviços de consultoria ou ler sobre o assunto. Mas um pouco de preparo e uma escolha acertada são uma excelente maneira de começar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s