Remasterizando o Ubuntu

Autor: FHCS <linux.user.king at gmail.com>

Pré-requisitos

Nesta fase vamos ver como preparar um ambiente para customização de uma
versão personalizada do Ubuntu. Vamos utilizar um processo manual, pois
temos maior flexibilidade do processo do que se utilizarmos ferramentas
como Remastersys ou Reconstructor, mas nada impedem de utilizá-las caso
seja de vossa vontade.

Pré-requisitos:

  • Um PC ou notebook;
  • 1 GB ou superior de RAM;
  • HD 40 GB ou superior;
  • Ubuntu 9.04 instalado dependendo da arquitetura da sua máquina
    (32 ou 64 bits);
  • Acesso a internet de alta velocidade.

Após ter instalado o sistema em sua máquina, vamos instalar alguns
pacotes necessários para darmos início ao processo de customização do
Ubuntu. Para isso será necessário baixar e instalar os seguintes
pacotes:

  • squashfs-tools;
  • genisoimage;
  • build-essential;
  • libusplash-dev;
  • libbogl-dev.

Abra o terminal e digite o comando:

$ sudo apt-get install squashfs-tools genisoimage
build-essential libusplash-dev libbogl-dev

Terminado a instalação dos pacotes necessários, vamos agora carregar o
módulo "squashfs", basta digitar o comando:

$ sudo modprobe squashfs

P.S.: Este módulo deve ser sempre carregado quando estivemos
customizando o sistema, sempre que o sistema for reiniciado verifique se
o módulo foi carregado executando o seguinte comando:

$ lsmod | grep squashfs

Caso o módulo esteja carregado, será apresentado o resultado semelhante
a:

squashfs xxxxx x

Antes de iniciarmos a customização do sistema, devemos baixar uma imagem
.iso do Ubuntu e criar um diretório e alguns subdiretórios no
"/home/usuario", para isto vamos fazer o seguinte.

Obs.: "/home/usuario" deve ser substituído pelo nome de usuário que você
usar para entrar no sistema, ou seja, se seu nome de usuário for
"fulano" você deve criar o diretório em "/home/fulano".

Abra um terminal e digite o comando:

$ mkdir Distro

Agora entre no diretório criado.

$ cd Distro

Vamos criar os subdiretórios.

$ mkdir mnt extract-cd squashfs edit

Para baixar a imagem .iso clique visite: http://releases.ubuntu.com/9.04/

Terminado o download, devemos copiar a imagem para o diretório Distro:

$ cp
"/home/usuario/localondesalvouaimagem"/ubuntu-9.04-desktop-i386.iso
"/home/usuario/Distro

Montamos a imagem no subdiretório mnt com o comando:

$ sudo mount -o loop ubuntu-9.04-desktop-i386.iso mnt

Extraímos o conteúdo da imagem .iso:

$ rsync –exclude=/casper/filesystem.squashfs -a mnt/ extract-cd

Montar o filesystem squashfs:

$ sudo mount -t squashfs -o loop mnt/casper/filesystem.squashfs
squashfs

Extrair o conteúdo do subdiretório squashfs para o edit:

$ sudo cp -a squashfs/* edit/

Esta etapa demora algum tempo para ser completada…

zzzzzzzzzzzzzzzzz

Pronto! Completada esta etapa, vamos transformar um diretório no
diretório-raiz através do comando (chroot). Utilizaremos o subdiretório
"edit" para ser nosso diretório-raiz.

Abra um terminal e execute:

$ sudo mount -t none -o bind /tmp /home/usuario/Distro/edit/tmp
$ xhost +

Vá para o diretório de trabalho:

$ cd Distro

Dê permissão de acesso à rede ao chroot:

$ sudo cp /etc/resolv.conf edit/etc/
$ sudo cp /etc/hosts edit/etc/

Montar os dispositivos necessários e executar o chroot:

$ sudo mount –bind /dev/ edit/dev
$ sudo chroot edit
# mount -t proc none /proc
# mount -t sysfs none /sys

Criar as variáveis:

# export HOME=/root
# export LC_ALL=C

Obs.: Se quisermos executar programas gráficos dentro do chroot, devemos
executar um comando antes de executar o chroot e declarar uma variável
dentro do chroot. Abaixo segue o comando.

# export DISPLAY=:0.0

NÃO FECHE A JANELA DO TERMINAL, pois será utilizada nos procedimentos
seguintes.

Configuração do sistema

Nesta etapa vamos ver como alterar algumas características, configurar e
instalar novos programas.
Esta fase é aonde faremos todas essas modificações, peço que atentem-se
muito, pois será a "alma" do seu novo sistema, o que fizer neste momento
irá acarretar um sistema bem configurado ou não.

Lembrem-se que todos os procedimentos de personalização deverá ser feito
com chroot e o módulo squashfs em execução. Caso tenha esquecido volte a
página anterior para saber como executar os comandos.

Habilitando e adicionando novos repositórios

No terminal, dentro do diretório-raiz (chroot) dê o seguinte comando:

# nano etc/apt/sources.list

Você verá a lista de seus repositórios, é recomendável descomentar
todos, para isto, basta retirar "#" do lado link que contiver.

Seguem alguns repositórios extras.

Agora salve a lista e saia do editor.

ctrl + o e ctrl + x

Execute:

# apt-get update

Neste momento será apresentada uma mensagem de erro de chaves, para
poder instalar as chaves utilize os comandos abaixo.

# wget -q http://wine.budgetdedicated.com/apt/387EE263.gpg -O- |
apt-key add –

# wget -q https://dl-ssl.google.com/linux/linux_signing_key.pub
-O- | apt-key add –

# apt-key adv –recv-keys –keyserver keyserver.ubuntu.com
FE85409EEAB40ECCB65740816AF0E1940624A220

# apt-key adv –recv-keys –keyserver keyserver.ubuntu.com
165d673674a995b3e64bf0cf4f191a5a8844c542

# apt-get update && apt-get install medibuntu-keyring
&& apt-get update

Vamos agora atualizar nosso sistema, para isto faremos os seguinte:

# update-apt-xapian-index
# apt-get update
# apt-get dist-upgrade –assume-yes –force-yes

Neste momento vamos definir o que iremos instalar, eu recomendo não
mexer no padrão do Ubuntu, já que estamos em fase de aprendizagem,
quando já estiverem bem familiarizado no processo, poderá remover alguns
programas, é como se fosse o "nlite" usado para personalizar o Windows.

Recomendo fazer isto quando, realmente estiverem dominando os principais
comandos. Usuários mais experientes não terão limitações sobre isso.

Então vamos criar uma versão completa.

No terminal que está executando o chroot, execute o comando:

# apt-get install build-essential xorg-dev autoconf automake
libtool nasm yasm gettext b43-fwcutter language-pack-pt
language-pack-pt-base language-support-pt language-support-writing-pt
language-pack-gnome-pt language-pack-gnome-pt-base language-pack-kde-pt
kde-l10n-ptbr openoffice.org-help-pt-br openoffice.org-l10n-pt-br
thunderbird-locale-pt-br aspell-pt-br brazilian-conjugate ibrazilian
wbrazilian ubuntu-restricted-extras totem-xine mp3gain libdvdread4
libdvdnav4 lame mplayer aacgain aacplusenc libdvdcss2 mencoder
non-free-codecs mjpegtools imagemagick libnjb5 sun-java6-jre
sun-java6-plugin ubuntu-tweak gparted bleachbit mozilla-thunderbird
mozilla-mplayer skype amsn firestarter gwget gftp amule gtk-gnutella
gnome-ppp twitux dia gimp-dcraw inkscape camorama stopmotion vlc
avidemux sound-juicer ffmpeg audacity devede acidrip dvdrip
gtk-recordMyDesktop subtitleeditor subtitleripper winff subdownloader
miro nautilus-clamscan nautilus-gksu nautilus-image-converter
nautilus-wallpaper multisync libmultisync-plugin-all
synce-multisync-plugin xarchiver rar unrar openoffice.org-base acroread
&& apt-get remove –purge totem-gstreamer

Assim, montamos um sistema bastante funcional, principalmente para
usuário final. Caso queria retirar ou incluir algum pacote, sintam-se à
vontade.

Finalizando

Bem, chegamos a etapa final deste "mini-tuto", vamos remover os arquivos
temporários, fazer alguns ajustes e gerar nossa imagem para ser gravada
no DVD.

Logicamente vocês podem remasterizar bem mais o sistema, de forma
atender suas necessidades pessoais, mas como o objetivo é dar apenas uma
noção de como remasterizar de forma manual, onde temos maior
flexibilidade de personalização, quando se sentirem mais confortável na
execução dos comandos poderão alterar o tema, usplash, a forma como o
sistema inicializa, remover alguns serviços que acham necessário entre
infinitas possibilidades que poderá utilizar.

No terminal, executando o chroot, execute os comandos.

Limpar o cache:

# apt-get clean

Remover os arquivos temporários:

# rm -rf /tmp/* ~/.bash_history

Remover as configurações desnecessárias:

# rm /etc/resolv.conf
# rm /etc/hosts

Desmontar o filesystem e finalizar o chroot:

# umount -lf /proc
# umount -lf /sys
# exit
$ sudo umount -lf edit/dev

Ajustando os novos repositórios para ser instalado no HD

Vamos alterar dois scripts que são: 50mirror.ubuntu e 91security, para
que desta forma sejam inseridos os novos repositórios utilizados na
customização do sistema.

Lembrete: Nesta fase não será mais necessária a utilização do chroot.

$ cd
/home/usuario/Distro/edit/usr/lib/ubiquity/apt-setup/generators

Edite o arquivo 50mirror.ubuntu:

$ sudo gedit 50mirror.ubuntu

Retire os comentários dos repositórios da seguinte forma:

Clique no menu Pesquisar > Substituir na janela que foi aberta,
digite no campo ‘Procurar por’: ${ COMMENT }, clique no botão
‘Substituir todas’ e depois em ‘Fechar’. Para remover os comentários,
bastar remover o "#" e pronto.

Vamos inserir os novos repositórios.

Procure pela linha "## This software is not part of ubuntu, but is
offered by Canonical and the" e insira a seguinte linha logo abaixo:

deb-src http://archive.canonical.com/ubuntu $codename partner

No final da sources.list insira seu novo repositório utilizado
na customização:

##
##
## Novos repositórios
##

deb http://wine.budgetdedicated.com/apt jaunty main
deb http://packages.medibuntu.org/ jaunty free non-free
deb http://dl.google.com/linux/deb/ stable non-free
deb http://ppa.launchpad.net/tualatrix/ubuntu jaunty main
deb http://ppa.launchpad.net/xorg-edgers/ppa/ubuntu jaunty main

Salve o arquivo e feche o editor.

Vamos alterar o 91security, seguem os mesmos passos acima.

Clique no menu Pesquisar > Substituir na janela que foi aberta,
digite no campo ‘Procurar por’: ${ COMMENT }, clique no botão
‘Substituir todas’ e depois em ‘Fechar’. Para remover os comentários,
bastar remover o "#" e pronto.

Salve e feche o editor.

Regerando e comprimindo o filesystem

Abra um terminal e execute os comandos:

$ cd Distro
$ chmod +w extract-cd/casper/filesystem.manifest
$ sudo chroot edit dpkg-query -W –showformat=’${Package} ${Version}\n’
> extract-cd/casper/filesystem.manifest
$ sudo cp extract-cd/casper/filesystem.manifest
extract-cd/casper/filesystem.manifest-desktop
$ sudo sed -i ‘/ubiquity/d’
extract-cd/casper/filesystem.manifest-desktop
$ sudo rm extract-cd/casper/filesystem.squashfs
$ sudo mksquashfs edit extract-cd/casper/filesystem.squashfs -check_data

Defina um novo nome para o sistema:

$ sudo nano extract-cd/README.diskdefines

Altere a linha "define DISKNAME UBUNTU 9.04 "Jaunty Jackalope" – Release
i386" para um nome desejado.

Exemplo: define DISKNAME UBUNTU 9.04 "Jaunty customizado por xxxxxxx" –
Release i386.

Pronto! Quase tudo terminado, vamos agora criar a imagem do novo
sistema…

Gerando e gravando a imagem (ISO)

Ufa!!! Terminamos nossa customização, agora vamos gerar nossa imagem e
verificar se tudo ocorreu bem, para isto faremos o seguinte:

$ cd extract-cd
$ sudo mkisofs -D -r -V "Ubuntu Customizado por XXXXX" -cache-inodes -J
-l -b isolinux/isolinux.bin -c isolinux/boot.cat -no-emul-boot
-boot-load-size 4 -boot-info-table -o
../ubuntu-9.04-desktop-i386-Custom-XXXX.iso .

Obs.: O ponto ‘.’ no final da linha faz parte do comando.

Onde:

  • Ubuntu Customizado por XXXXX – deve ser substituído pelo nome da
    versão customizada
  • ubuntu-9.04-desktop-i386-Custom-XXXX.iso – deve ser
    substituído pelo nome do arquivo da imagem a ser gerada

$ cd ..

Gravando a imagem ISO

Esta etapa é opcional, mas caso queira instalar em outros computadores,
obviamente terá que gravá-lo em um DVD.

Para gravar não existe segredos. Pode utilizar seu programa predileto ou
através do terminal. Como estamos fazendo um processo manual, vamos
gravar a imagem pelo terminal.

Abra um terminal e entre no diretório:

$ cd Distro
$ cdrecord dev=/dev/cdrom ubuntu-9.04-desktop-i386-Custom-xxxx.iso

Onde:

  • ubuntu-9.04-desktop-i386-Custom-xxxx.iso – o nome do arquivo da
    imagem

Pronto, terminamos toda nossa customização, geração e gravação da imagem
ISO, basta agora testar o seu novo sistema e ver como ficou.

Caso não queira instalar o sistema fisicamente, utilize uma máquina
virtual como VMWARE, VirtualBox para instalar o sistema.

Abraço a todos da comunidade VOL.

Linux: Remasterizando o Ubuntu   Linux: Remasterizando o Ubuntu


http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Remasterizando-o-Ubuntu

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s