AMD ‘declara guerra’ contra a Intel na área de chips para servidores

Agam Shah, do IDG News Service/EUA

Na próxima quinta (11/3), AMD apresenta
seu chip de 12 núcleos para servidores, competindo diretamente com o
Nehalem-EX, da Intel.

guerra-chips-150.jpgA AMD está oferecendo prêmios, para atrair
mais interesse até o lançamento de seu processador com 12 núcleos,
direcionado para servidores. O motivo é que a rival Intel também tem
planos para lançar chips para servidores.

O valor do total dos prêmios ultrapassa 8 mil dólares e será entregue
à pessoa que melhor descrever – em um ensaio, vídeo ou post no blog da
empresa – como usaria um servidor com 48 núcleos de processamento
(quatro processadores AMD com 12 núcleos cada).

As regras estão no blog da
AMD
, de acordo com John Fruehe, diretor de marketing para servidores
e Workstations da fabricantes de processadores.

Os prêmios não serão em dinheiro. O ganhador vai levar uma cópia do
Windows Server 2008 e quatro processadores Opteron de 12 núcleos,
rodando a 2,2 GHz. Os 48 núcleos vão funcionar em conjunto em servidores
com placa-mãe de quatro soquetes.

A AMD já começou a distribuir esses chips, que têm o codinome
Magny-Cours, para fabricantes,e que a partir do lançamento oficial,
previsto para esta quinta-feira (11/3) – o lançamento ocorre
simultaneamente no Brasil nesta data – , será chamado Opteron 6100. O
componente estará disponível até o final de março, ao menos nos Estados
Unidos.

No blog, Fruehe disse que o Magny-Cour irá fornecer mais trilhas de
memória que os póximos produtos Intel para servidores (chips
Westmere-EP). A Intel informou que também vai entregar seus
processadores Westmere-EP, de seis núcleos e Nehalem-EX, de oito
núcleos, até o fim do mês. Esses chips serão lançados sob o nome da
família Xeon.

Segundo analistas de mercado, o produto da AMD será um processador
compatível com instruções x86 que contém o maior número de núcleos, em
comparação com chips da Intel. As duas empresas vêm investindo na adição
de núcleos a seus processadores, já que o aumento da velocidade do
clock gerava muito calor e gasto com dissipação e aumento do consumo de
energia.

A batalha pelo aumento do número de núcleos vai continuar, mesmo que a
disputa implique inserir mais chips dentro do servidor para somar mais
núcleos, disse Dean McCarron, analista chefe da Mercury Research.

Os fabricantes de servidores estão sempre focando no aumento de
desempenho e milhares de núcleos estão sendo adicionados a
supercomputadores de alta performance para realizar cálculos complexos.

O chip de 12 núcleos da AMD irá proporcionar um avanço e tanto sobre o
rival Westmere-EP, da Intel, disse Nathan Brookwood, principal analista
da Insight 64, uma empresa de consultoria na área de semicondutores.

No entanto, a verdadeira batalha do chip da AMD será com o Intel
Nehalem-EX, de oito núcleos, pois ambos são destinados a servidores com
quatro soquetes de processadores.

A Intel informou que não fará qualquer ação oferecendo prêmios no
sentido de atrair a atenção do mercado. “Nós não precisamos de um
concurso para descobrir o que nossos clientes vão fazer com nossos
produtos”, disse Shannon Poulin, diretor da plataforma Xeon da Intel.
“Os usuários se preocupam mais com preço e a relação de desempenho por
watts do que o número de núcleos”, complementa Poulin.

Porém, analistas concordam que o funcionamento do chip mediante ao
número de núcleos, fatores como memória cache embutida e largura da
banda para transferir dados para a memória ajudam aumentar o desempenho
do sistema. A Intel inseriu quatro canais de comunicação com a memória
no Nehalem-EX, que é o mesmo número inserido no chip Magny-Cour da AMD.

Para aplicações corporativas, a quantidade de dados que trafega entre
memória e processador (throughput) é fator importante para contribuir
com o desempenho, disse McCarron, da Mercury Research. Por exemplo, em
um programa com grande base de dados, a largura de banda em que ele se
comunica com a memória é essencial para se obter a maior quantidade de
dados no menor tempo possível.

Poulin informou que a Intel mantém uma vantagem importante – a
tecnologia de fabricação – que permite à fabricante ter caches maiores
dentro de seus processadores e isso, além de proporcionar melhor
desempenho, também economiza energia, além de obter preços menores que
seus chips anteriores.

Fruehe, da AMD, rebate dizendo que “os clientes não compram
nanômetros, mas produtos". O tamanho dos transistores é um dos atributos
do processador, mas a arquitetura que está por trás disso é algo
crítico. Segundo ele, o tamanho dos chips da AMD não está influenciando
no consumo de energia, nem no desempenho.

Para Brookwood, o chip Nehalem-EX (Intel) leva vantagem em algumas
características, como a correção de erros, mas o Magny-Cour (AMD)
oferece melhor relação entre custo e benefício, especialmente porque os
usuários vão migrar de servidores com dois soquetes para servidores com
quatro soquetes. “A AMD está mudando a economia desse mercado. A Intel
talvez cobre mais caro pelo Nehalem-EX, já que esse chip entra em um
mercado tradicionalmente dominado por soluções ainda mais caras, com
arquitetura RISC, como os processadores Power PC, da IBM e o Sparc, da
Sun”, disse Brookwood. Para o analista da Insight 64, “2010 será um ano
interessante para o mercado de servidores x86; tanto a AMD, quanto a
Intel, estão [chegando] com soluções interessantes”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s