Finalmente consegui tirar o Windows do meu computador!

Autor: flavio ferreira hespanhol <fhespanhol at terra.com.br>

Como tirei o Windows do computador

Há muito tempo que procuro um sistema operacional melhor que o Windows,
o problema é que sofremos uma lavagem cerebral para usá-lo. Os cursos,
livros e revistas só falam nele e o pior de tudo, ele pode ser comprado
em qualquer esquina por R$ 10,00 e ninguém se importa com o fato de ele
ser pirata, pois é mais barato para as empresas que economizam em
treinamento de funcionários e os próprios fabricantes de software, que
tem seus produtos sempre sendo usados em uma espécie de marketing
obscuro. Mas vamos ao que interessa, o modo como finalmente consegui
tirar o Windows do meu PC.

Utilizo computador há pelo menos 13 anos e sempre me perguntei
se não existiria nada melhor que o Windows, pois sempre achei ele
falho. O fato de não reconhecer nada do PC, obrigando a ter drivers de
instalação de tudo e os infindáveis codecs e plugins que precisamos
sempre baixar e atualizar, o antivírus que deixa a máquina mais lenta,
o Internet Explorer que funciona mal, me cansavam.

Foi quando um professor de informática do curso de técnico em informática que eu fazia me mostrou o Red Hat Linux,
um sistema operacional completo com tudo que você precisava e gratuito.
Aquilo me interessou muito, contudo o Red Hat era difícil de instalar e
configurar e a migração para ele não foi possível. Porém agora eu sabia
que existia outra opção além do Windows e passei a acompanhar a
evolução do Linux.

Foi quando conheci o Kurumin Linux, um sistema
operacional completo, com todos os programas, que reconhecia todo o
hardware do computador automaticamente e que rodava direto do CD. Tão
logo comecei a testar, o instalei em meu PC em conjunto com o Windows e
passei a usá-lo principalmente para a internet, devido a rapidez,
segurança, velocidade e o melhor, podia usar o Firefox, um navegador muito superior ao Internet Explorer.

Porém muitas tarefas que executava em Windows ainda não conseguia
executar em Linux, pois não existiam programas que substituíssem os que
utilizava em Windows como o DreamWeaver e o CorelDraw, por exemplo. Foi
quando me informaram sobre o Ubuntu,
uma distribuição voltada ao usuário final e contando com muitos
recursos que até então não havia visto em Linux. Troquei o Kurumin pelo
Ubuntu, mas continuei com o Windows na máquina, pois o Linux ainda não
dava suporte a muitas coisas, como tecnologia 3G por exemplo.

A comunidade Linux amadureceu e começou a pensar mais no usuário final
e programas antes restritos a determinadas distribuições começaram a
poder serem usados em outras e as distribuições começaram a melhorar
cada vez mais e programas para todas as finalidades com interface
gráfica, muito bem escritos e com interface limpa e intuitiva,
começaram a aparecer. O governo passou a incentivar o uso do software
livre, que é a escolha sensata para nosso pais, mostrando que era
necessário incluir o Linux o cenário da informática de uma vez por
todas.

Com a evolução do Ubuntu, que é a distribuição que eu uso, passei a
utilizar cada vez mais o Linux devido a agilidade do sistema
operacional e facilidade de utilização bem maior que no Windows. Minha
última barreira eram os programas que usava normalmente como o
Photoshop, CorelDraw e DreamWeaver, que agora consegui substituir muito
bem pelo Gimp, Inkscape e o Kompozer.

Os codecs e plugins, que antes não eram compatíveis com determinados
formatos de mídia, agora funcionam bem até com os formatos mais
exóticos como o MKV e o Rmvb. Faltava só um programa para edição de
vídeo, que descobri ser o AVIDemux,
que permite editar, converter vídeos e adicionar legendas facilmente.
Com isso não preciso mais do Windows e estou utilizando só o Linux, que
até agora vem correspondendo muito bem a todas as minhas expectativas e
o melhor, é gratuito, seguro, rápido, fácil de usar e configurar e não
preciso mais pagar por uma atualização de software, já que ele se
atualiza sozinho.

Período de adaptação

A princípio o Ubuntu vem pronto para uma estação de
trabalho, mas como uso o computador não só como estação de trabalho,
mas também para entretenimento, eram necessários alguns detalhes a
mais.

1. Codecs e plugins – Vá em Sistema > Gerenciador de Pacotes Synaptic > Procurar e digite "restricted-extras". Tudo o que você precisa em matéria de codecs será instalado automaticamente.

2. Instale a biblioteca libdvdcss para rodar e
copiar DVDs protegidos. A instalação deve ser manual, pois o Ubuntu não
a instala automaticamente. A linha de código para sua instalação via
terminal é:

$ sudo /usr/share/doc/libdvdread4/install-css.sh

No fórum do Ubuntu você encontra instruções detalhadas de como rodar qualquer mídia em Ubuntu. O link é:

3. Após instalar a biblioteca libdvdcss, instale o pacote w32codecs, que pode ser baixado no site abaixo:

Baixe a versão com a extensão .deb, depois é só dar duplo clique no pacote que o instalador do Ubuntu se encarrega do resto.

4. Depois clique no botão Iniciar > Adicionar/Remover > na aba Procurar digite "gxine" e mande instalar. O gxine é o player adequado para reproduzir DVDs protegidos, uma vez que o player que vem no Ubuntu não consegue reproduzir sozinho.

5. Para ripar músicas de CDs, vá em Adicionar/Remover > Procurar e digite "Grip". O Grip
é um ripador que converte os CDs colocados no drive diretamente para
.OGG, criando pastas detalhadas com todas as informações sobre música,
artista e CD.

6. Para baixar filmes e músicas da Internet hoje em dia não
precisamos mais de programas específicos P2P, temos blogs com links
diretos para o Megaupload e outros sites de armazenamento de arquivos que nos permitem baixar arquivos diretamente, como o 4shared.com
por exemplo. Eles são muito mais rápidos e eficientes que o Ares ou o
Emule, o problema é que os filmes baixados destes sites normalmente vem
em .RMVB ou .MKV e para os assistirmos em nosso DVD player precisamos
convertê-los em VCD. Para isso vá em Adicionar/Remover > Procurar e
digite "converter". Instale o programa Video Converter, com ele você converte qualquer formato de vídeo ou áudio para qualquer outro, depois é só gravar no DVD e assistir.

7. No caso de precisarmos juntar legenda com filmes baixados podemos
usar o programa Avidemux, que pode ser baixado através do gerenciador
de pacotes Synaptic.

8. Para gravar e editar arquivos de áudio, vá em Adicionar/Remover e procure o programa Audacity. Instale e pronto, temos um bom editor de áudio instalado!

Com isso temos tudo que precisamos para assistir, converter e gravar áudio e vídeo.


http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Finalmente-consegui-tirar-o-Windows-do-meu-computador

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s