Estratégias para expansão dos jogos em Linux

Autor: Ulisses Cavalcante <ziel7 at yahoo.com.br>

Como alavancar o uso de jogos no Linux

Já há algum tempo tenho pensado em como alavancar o uso dos jogos em Linux e vamos começar perguntando:

"Os jogos são essenciais para crescimento do Linux?"

Penso que sim. Da mesma forma que os aplicativos de escritório também
são, e nisto o Linux já possui qualidade e renome igual ou superior aos
concorrentes. Mas mesmo assim muitas empresas não deixam de utilizar
(mesmo com versões em Windows) os seus aplicativos pagos para utilizar
o OpenOffice por exemplo. O aspecto mais importante que falta no Linux
(open source em geral) e que outros aplicativos comerciais possuem é o
fato de causar a sensação de desejo, e às vezes um desejo ardente. Este
desejo tem um motivo – é exatamente o que temos que descobrir para
criarmos nossos jogos em Linux.

Por exemplo, alguns usuários trocaram suas distribuições pelo
Ubuntu (eu fui uma delas) pelo simples desejo de ter um desktop 3D
funcionando (no Kurumin dava muito trabalho, tanto que desisti) e o que
o Ubuntu tem tentado trabalhar é isso: as pessoas tem que desejar o
sistema de tal forma que elas trocariam até mesmo alguns confortos por
essa substituição. Eu falei tudo isso para chegar ao seguinte ponto: os
jogos só trarão usuários para o Linux se as seguintes condições forem
satisfeitas:

1) Jogos melhores que em outros sistemas (tanto em gráficos e desempenho quanto em diversão).

2) Disponibilidade: os jogos tem que simplesmente funcionar
quando o usuário acredita que eles tem que funcionar. Ou seja, sem
nenhum problema de instalação ou travamentos.

3) Os jogos precisam de apelo popular ("Nossa! você viu o novo
jogo da xyzGamersFantasy? Cara, todo mundo vai querer esse jogo, porque
é animal!"). Ou seja, alcançar o cliente final.

Legal, então apenas com estes três requisitos conseguimos alavancar os jogos no Linux. Então como que faço isso?

O que são os 3D

Para chegar a este ponto precisamos trabalhar com o sistema que eu
chamo de rede 3D, que envolve os sistemas de desenvolvimento dos jogos,
sistemas de distribuição e um sistema de difusão de jogos.

Os 3D também possuem requisitos e estes eu não tenho como enumerar todos, mas vou focar nos principais.

1) Desenvolvimento – Os jogos tem que ser fáceis de ser
produzidos e alcançar grandes resultados em desempenho e gráficos e
possuírem um menor custo de produção.

Dentro desta características, fica claro uma grande diferença entre produzir jogos para Linux
e outros sistemas que não possuem tanta facilidade para produção, uma
questão mercadológica básica que é a quantidade de consumidores.

Uma empresa que vê um concorrente vendendo cem mil cópias de
um jogo que recebeu pontuação em gráficos mediana e vê a possibilidade
de produzir gráficos melhores vai investir mais para obter maiores
resultados focando pelo menos as cem mil cópias que o concorrente
vendeu.

2) Distribuição – Os jogos devem ser distribuídos de maneira
rápida, fácil, abrangente, barata e principalmente segura (proteção
contra cópia ilegal). Este aspecto envolve inclusive a instalação de
jogos na máquina do cliente para que ocorra apenas o "just push start".

Dentro de um ambiente como o open source, onde possuímos
vários especialistas (hackers), o sistema de distribuição pode ser um
ponto extremamente arriscado para qualquer desenvolvedor. Jogos são
exclusivamente capital intelectual e este precisa ser protegido para
que o desenvolvedor obtenha lucros.

Exemplo: um jogo open source de MMORPG que tivesse apenas um servidor
para jogá-lo sem nenhuma chance de criação de servidor concorrente é
altamente lucrativo para o desenvolvedor, porém diante de tantos
hackers/m² que possuímos no ambiente open source (Linux), esta tarefa é
quase impossível, colocando o investimento em risco.

3) Difusão dos jogos no Linux – distribuições Linux já devem
vir com o melhor dos jogos para Linux por padrão instaladas. Outro
aspecto determinante é que os jogadores tem que participar do ambiente
de produção dos jogos.

Este ponto depende de alguns atores-chave para o seu fator de
sucesso, e os ambientes como KDE e Gnome precisam rever seus jogos para
que uma pessoa considerada um "gamer" não sinta o Linux tão atrasado ou
inferior no aspecto jogos logo na primeira impressão do sistema.
Pensem: cada vez que você instala uma distribuição nova, vê várias
novidades e recursos adicionais nas diversas áreas que envolvem o uso
do computador. Porém ao entrar na área de jogos para passar uma pequena
parte do tempo você descobre que não conseguirá ficar tempo jogando
tais jogos que parecem da década retrasada (não são de qualidade ruim,
porém em sua maioria simples). Portanto às vezes é melhor só ficar
olhando uma barra de instalação do sistema enchendo do que passar algum
tempo jogando.

Imaginem que primeira impressão do Linux fica marcada naquele jogador que tenta apenas experimentar o Linux.

Possíveis soluções

Desenvolvimento

As soluções são as mais diversas possíveis. Apenas chamarei a atenção
para algumas que vejo como as principais e gostaria de receber mais
sugestões.

Blender – o Blender é uma ferramenta de desenho 3D (modelagem) que possui um recurso que poderá mudar o rumo dos jogos em Linux: a game engine.
Eu sei que o propósito principal do Blender é o desenho e não a
interação, porém com esta ferramenta você praticamente precisa de
designers e não de programadores e o nível de gráficos será com
absoluta certeza muito acima do que se pode esperar em alguns dos jogos
comuns de Linux. O que falta no Blender é que a game engine receba um
espécie de game factory, onde recursos voltados para jogos sejam mais
explorados e melhorados. Inclusive para rodar o blenderplayer sem que
seja necessária a instalação do sistema de modelagem e os pacotes de
jogos sejam únicos, semelhante às ROMs em jogos de emuladores, o que
facilitaria em muito o desenvolvimento e facilidade na manipulação dos
jogos. Já se as bibliotecas da game engine (ou blenderplayer) cuidassem
daquilo que é familiar a todos os projetos (bibliotecas para rodar os
jogos), deixando apenas a cargo do game design a elaboração de visual,
lógica e interação, então teríamos um grande avanço.

XNA – Aqui não vou falar exclusivamente da ferramenta xna para
Windows em si, mas da possibilidade de compatibilizar os jogos feitos
para Windows rodarem no Linux nativamente através de um desenvolvimento
feito para o mercado atual. Portanto é apenas uma alusão a uma forma de
desenvolver jogos usando os métodos que já estão fazendo sucesso no
mercado. São mais fáceis de usar do que programação convencional, estão
integradas a um ambiente de programação. Se houvesse uma ferramenta
semelhante no Linux facilitaria em muito o processo de desenvolvimento.

Distribuição

Nesta área a mídia ideal no Linux para
distribuição de software, sem dúvida nenhuma, é a internet e o processo
de degustação dos jogos. Até a aquisição do produto tem de ocorrer de
forma totalmente segura sem que qualquer espécie de dificuldade para
ambas as partes ocorra, principalmente para os jogadores.

Em sua maioria, jogadores querem começar apenas com "just push
start" e depois que o jogo começar, pode ter diversas opções de
configuração e personalização para que ele perca tempo ou paciência
trocando e afinando a performance. E o processo de aquisição de jogos
via internet tem que se resumir a um arquivo que o jogador possa baixar
sem necessidade de saber o que tem dentro dele, e rodar ou instalar em
apenas dois cliques e um OK. E se possível após a instalação já
perguntar se o mesmo deseja jogar seu jogo, o que vai permitir saber se
o mesmo irá funcionar perfeitamente logo na primeira oportunidade de
fazê-lo.

A respeito deste processo de aquisição de jogos, só há uma
alternativa para a segurança do conteúdo intelectual investido no jogo:
a criptografia do mesmo, e o processo de criptografia deve ocorrer de
maneira tão transparente que este não seja nem mesmo mencionado durante
o processo (ainda mais pela palavra criptografia). Cada jogador deve
ficar apenas ciente que possui uma chave única e intransferível e que
seus jogos serão jogados apenas em seus sistemas, e que nas licenças de
uso determinem que não há possibilidade de troca de chaves. E caso
ocorra a troca de chaves os arquivos(jogos) estarão inutilizados.

Difusão dos jogos

Difundir os jogos entre os jogadores sem mídia comercial é a tarefa
mais difícil em um ambiente open source. Portanto o "Power Up" para que
os jogos sejam difundidos entre os jogadores é a criação simultânea de
comunidades de manutenção/sugestão do projeto de jogo junto aos
jogadores (principais interessados) para que seja possível entender as
necessidades, dificuldades, motivações e escolhas dos nossos clientes
finais, e deve estar no topo de prioridades do projeto estas
necessidades, dificuldades, motivações e escolhas de forma que sejam
constantemente atualizadas e a liderança de um projeto de jogos tem
estar pronta inclusive para passar o destino do projeto para as mãos da
maioria (clientes finais).

Caso algumas requisições dos jogadores saiam do escopo, devem
ser criadas rotinas (forks, demos, períodos de testes, regiões de
testes) para uma analise mais profunda dessas requisições. E com
crescimento do público haverá uma grande possibilidade da perpetuação
do jogo. Onde líderes do projeto sejam trocados, porém a ideia esteja
sendo desenvolvida pelos próprios jogadores ou novos game designs.

Gente, peço que façam comentários a respeito dessas ideias.

"Quando você não tem paredes… Não é necessário ter janelas…"


http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Estrategias-para-expansao-dos-jogos-em-Linux

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s