História da informática: Um pouco de datas e especificações

Autor: Vinícius dos Santos Oliveira <vini_ipsmaker at yahoo.com.br>

Introdução e poucas datas de hardware

Sobre datas dos hardwares, não sei quase nada, adicionei a página
apenas com a esperança de que alguém possa me ajudar a conhecer mais,
porém sobre datas de outros (software, videogame) eu vou contribuir.

O que eu sei de datas de hardware:

  • 1943 – o ENIAC (Electrical Numerical Integrator and Calculator) começa a ser desenvolvido.
  • 1946 – É criado o ENCIAC, possivelmente o primeiro computador digital eletrônico.
  • 1976 – É lançado o Apple I
  • 1995 – É lançada a placa gráfica S3 ViRGE
  • 1996 – É lançada a placa gráfica Rage II
  • 1996 – É lançada a placa gráfica 3dfx Voodoo1

É quase nada, mas as outras páginas compensarão. 🙂

Fontes consultadas (as que eu me lembro):

Também usei um monte de fontes que estavam citadas em páginas da Wikipédia.

Datas – software

1962 – O projeto MAC, a organização que iniciou a pesquisa para a criação do Multics, é sugerido por J. C. R. Licklider.

1965 – Forma-se um grupo de programadores formado por Ken
Thompson (cientista AT&T), Dennis Ritchie (cientista AT&T),
Douglas McIlroy e Peter Weiner para desenvolver o sistema operacional
Multics, que foi patrocinado pelo grupo de empresas formado por
AT&T (Bell Labs), GE e MIT.

1968 – É desenvolvido o NLS (oN-Line System), sistema importante que introduziu vários conceitos que hoje são muito usados hoje.

1969 – Ken Thompson escreve o jogo Space Travel para o sistema Multics

1969 – A AT&T abandona o projeto alegando que "3 empresas
com objetivos diferentes dificilmente alcançariam uma solução
satisfatória para cada uma delas" e que "os participantes sofriam da
síndrome do segundo projeto".

1969 – Sem acesso ao projeto Multics, Ken Thompson com a ajuda
de Dennis Ritchie começa a "portar" o jogo Space Travel para a máquina
PDP-7 usando linguagem de Assembly. Foi o desenvolvimento deste jogo
que estimulou o desenvolvimento do sistema operacional Unics original.

1969 – Thompson e Ritchie conduzem um time de desenvolvedores,
formado por Rudd Canaday, Brian Kernighan, Ossanna e talvez outros,
para desenvolver um sistema de arquivos e um novo sistema operacional
multitarefa. Parte do código-fonte do jogo Space Travel foi utilizado
no desenvolvimento deste novo sistema operacional. Eles incluíram um
interpretador de linha de comando e alguns programas utilitários com o
novo sistema operacional.

1970 – O projeto do desenvolvimento do novo sistema
operacional é batizado de Unics por Brian Kernighan em contraste a
Multics, mas depois é rebatizado de Unix.

1970 – A empresa Honeywell compra a divisão de computação da General Electrics.

1970 – Pela primeira vez o projeto Unix recebe suporte
financeiro da Bell Labs em troca da promessa de Thompson e Ritchie de
adicionar capacidades de processamento de texto ao Unix para uma
máquina PDP-11/20. O programa foi chamado de roff e escrito em
linguagem de Assembly. O programa depois evoluiu e foi chamado de
troff, que foi o primeiro programa de publicação digital com
capacidades de composição tipográfica completas.

1971 – O UNIX Programmer’s Manual é publicado.

1972 – A linguagem de programação C é desenvolvida por Dennis
Ritchie. Foi influenciada pelas linguagens B (BCPL, CPL), ALGOL 68,
PL/I, Fortran e pela linguagem de Assembly e influenciou várias
linguagens de programação modernas.

1973 – O Unix é reescrito em linguagem C. Isto resultou em um sistema operacional mais portável.

1974 – Gary A. Kildall cria o CP/M.

1975 – O desenvolvimento do Unix expande com o lançamento das
versões 4, 5 e 6. O desenvolvimento do código-base se tornou mais
modular com a adição do conceito de pipes (encanamentos) e tornou o
desenvolvimento mais rápido também.

1977 – É desenvolvido o BSD, derivado do Unix. Muitas das
características Unix foram primeiro incluídas no BSD para depois serem
incluídas no Unix.

1977 – O CP/M torna-se o sistema operacional mais popular entre os PCs.

1979 – A versão 7 do Unix é lançada, a última versão da
Research Unix (Pesquisa Unix) lançada largamente. A pesquisa iniciou o
desenvolvimento do sistema operacional Plan 9 from Bell Labs, um novo
sistema operacional portável.

1981 – A Xerox Corporation lança a estação de trabalho Xerox Star, introduzindo assim as interfaces gráficas.

1981 – É introduzido o MS-DOS, que foi quase um clone do sistema operacional CP/M.

1982 – O MS-DOS 1.0 é lançado com o IBM PC sob o nome de PC-DOS.

1982 – A AT&T lança o Unix System III, baseado fortemente na versão 7 do Unix.

1982 – Os pesquisadores de Berkeley continuam a desenvolver o
BSD Unix como uma alternativa ao Unix System III, pois os termos de
licença das novas versões do Unix não foram favoráveis para uso
acadêmico como as velhas versões do Unix foram.

1983 – O Unix System V Release 1 é lançado com várias
inovações. Incluiu o editor vi e o curses do BSD. Também teve um
aperfeiçoamento de performance com a adição de caches para buffer e
inode. Foi com esta versão que a AT&T percebeu o potencial do Unix
e ela se comprometeu a dar suporte primeiro com esta versão. Uma nova
ABI, COFF, é usada.

1983 – Richard Stallman anuncia o projeto GNU – Gnu is Not Unix.

1984 – É lançado o X Window System, desenvolvido no MIT. Foi o
primeiro sistema/protocolo de janelas independente de hardware e
fabricante.

1984 – O desenvolvimento do sistema operacional GNU começa.

1984 – O Unix System V Release 2 é lançado com vários avanços.

1985 – O projeto Multics foi cancelado.

1985 – É fundada a Free Software Foundation (FSF) por Richard Stallman.

1986 – O Unix System V Release 3 é lançado com várias novidades
nos sistemas de arquivos, em uma API para network e uma forma restrita
de bibliotecas compartilhadas.

1987 – É lançado o GCC (GNU C Compiler).

1988 – O POSIX 1 é criado.

1989 – A licença GPL 1, a primeira licença copyleft, é publicada.

1990 – O Unix System V Release 4 é lançado com muitas novidades
interessantes. Foi a versão com maior sucesso financeiro. Usou uma nova
ABI, a ELF, que é tão boa que até hoje é largamente usada.

1991 – O GCC 1.x tornou-se estável.

1991 – O Linux é lançado.

1991 – A GPL 2 é lançada.

1991 – O projeto XFree86, uma implementação do X Window System, começa.

1992 – É desenvolvido o LILO.

1992 – É lançado o Windows 3.1.

1994 – O Linux 1.0 é lançado.

1994 – A Microsoft anuncia que não iria mais vender ou suportar o MS-DOS, então o projeto FreeDOS começa.

1995 – O projeto GIMP – General Image Manipulation Program – é criado.

1995 – O GRUB começa a ser desenvolvido por Erich Boleyn.

1995 – A Microsoft lança o Windows 95.

1996 – O grupo FreeWin95 é formado com o objetivo de criar um sistema operacional livre clone do Windows 95.

1997 – O GIMP passa a ser parte do projeto GNU e tem sua sigla alterada para Gnu Image Manipulation Program.

1997 – O projeto FreeWin95 é renomeado para ReactOS.

1997 – O projeto GNOME é iniciado.

1998 – O ReactOS começa a ser desenvolvido.

1998 – A GTK 1.0 é lançado.

1998 – A Microsoft lança o Windows 98.

1998 – O KDE 1.0 é lançado.

1999 – O Linux 2.2.0 é lançado, com 1800847 linhas de código.

1999 – É lançado o GNOME 1.0.

1999 – O grupo EGCS é considerado o mantedor oficial do GCC pela FSF. O GCC passa a ser a sigla para GNU Compiler Collection.

1999 – O GRUB passa a ser parte do projeto GNU.

2000 – É fundada a freedesktop.org.

2001 – O Linux 2.4.0 é lançado, com 3377902 linhas de código.

2001 – A Linux Standard Base (LSB) 1.0 é divulgada.

2001 – A Microsoft lança o Windows XP.

2002 – O GTK+ 2.0 é lançado.

2002 – É lançado o GNOME 2.0 e ocorre a introdução do "Human Interface Guidelines".

2003 – O Linux 2.6.0 é lançado, com 5929913 linhas de código.

2002 – A Single Unix Specification (SUS) 3 é divulgada.

2004 – É fundada a X.Org Foundation.

2006 – O FreeDOS 1.0 é lançado.

2007 – A Microsoft lança o Windows Vista.

2007 – Todos os códigos-fonte do Multics são disponibilizados para qualquer propósito e livre de custos.

Datas – consoles e jogos eletrônicos

Os jogos eletrônicos também contribuíram para a evolução dos
computadores, então aqui está uma pequena lista de jogos e consoles
evolucionários.

1972 – O Magnavox Odyssey, o primeiro console pessoal do mundo, é lançado.

1972 – A empresa Atari foi fundada e o console Pong é criado.

1978 – O Atari 2600, um bom console que se tornou muito popular, é lançado.

1983 – É lançado o NES (Nintendo Entertainment System), console revolucionário da Nintendo, no japão.

1983 – É lançado o jogo revolucionário Mario Bros, que dá origem a série de jogos Super Mario Bros.

1986 – É lançado o Master System, console da SEGA, no japão.

1986 – É lançado o jogo revolucionário The Legend of Zelda.

1987 – É lançado o console TurboGrafx 16.

1987 – É lançado o jogo evolucionário e um pouco revolucionário Final Fantasy.

1988 – É lançado o Mega Drive, outro console da SEGA, no japão.

1989 – É lançado o Game Boy.

1990 – É lançado o console SNES (Super Nintendo Entertainment
System), console evolucionário e um pouco revolucionário da Nintendo.

1990 – É lançado o jogo Super Mario World.

1990 – É lançado o Neo Geo, console da SNK.

1994 – É lançado o Sega Saturn.

1994 – É lançado o console PlayStation.

1996 – É lançado o console revolucionário Nintendo 64.

1996 – É lançado o jogo revolucionário Super Mario 64.

1998 – É lançado o console portátil Game Boy Color.

1998 – É lançado o jogo revolucionário The Legend of Zelda: Ocarina of Time.

1999 – É lançado o console portátil Neo Geo Pocket Color e
abandonado o Neo Geo Pocket (com somente um ano de existência), ambos
da SNK.

2000 – É lançado o console PlayStation 2.

2001 – É lançado o console portátil Game Boy Advance.

2001 – É lançado o jogo revolucionário GTA III.

2001 – É lançado o console Xbox.

2001 – É lançado o console portátil GP32, primeiro console com foco no homebrew.

2004 – É lançado o console portátil revolucionário Nintendo DS.

2004 – É lançado o console portátil PlayStation Portable.

2005 – É lançado o console portátil GP2X, sucessor do GP32.

2006 – É lançado o console revolucionário Nintendo Wii.

2009 – É lançado o GP2X Wiz, sucessor do GP2X.

E para os fãs apaixonados da Sony: A Sony não fabrica jogos de
qualidade, só fabrica o console, por isso nunca fez nada de útil além
das mídias que podem ser facilmente pirateadas (quem inventou o
controle digital, a alavanca analógica, os botões de ombro, o botão
start, os savegames, o Z-targeting, os memory cards, quatro botões
frontais, o Nintendo DS, o Nintendo Wii etc).

A Nintendo fabrica muitos jogos de qualidade (e fica portando alguns
jogos de um console para outro) e por isso entende muitas das
necessidades que um console precisa ter para ter jogos de qualidade.

Nota: Eu não conheço todos os jogos revolucionários que
tiveram uma participação importante para evoluir o universo dos jogos
eletrônicos, mas citei vários dos principais, pelo menos. E espero que
nos comentários eu possa obter uma lista de mais jogos que foram
importantes.

Unix vs DOS – A história

Primeira parte, a IBM:

A IBM precisava de um sistema operacional padrão para seu
computador. Então convocaram Bill Gates acreditando que ele tinha os
direitos sobre o CP/M (um sistema operacional de péssima estrutura).
Bill desfez o equívoco e encaminhou-os para a Digital Research, cujo
dono era Kildall, mas não houve acordo entre Kildall e IBM, então a IBM
voltou a procurar Bill Gates, que ainda não tinha nenhum sistema
operacional pronto para oferecer.

Segunda parte, o DOS:

O DOS foi originalmente desenvolvido por Tim Paterson da
Seattle Computer Products sob o nome de QDOS (Quick and Dirty Operating
System), sendo uma variação do CP/M-80 da Digital Research. O QDOS era
apenas um produto interno criado para testar uma nova placa com UCP
8086. Foi feito sem nenhuma preocupação com o usuário final, segurança,
desempenho, eficiência, portabilidade ou recursos.

Terceira parte, Bill Gates:

Gates, então, lembrou-se de Tim Paterson, programador da SCP,
que desenvolveu o QDOS (posteriormente, 86-DOS). Ele entrou em contato
com a SCP e comprou os direitos sobre o 86-DOS por (supostamente) US$
50.000. A Microsoft (foi fundada por Bill e um amigo e eles vendiam
interpretadores da linguagem BASIC) licenciou-o da SCP, fez algumas
modificações e licenciou-o posteriormente à IBM (vendido como PC-DOS)
para seu novo ‘PC’ usando a CPU 8088 (que internamente era idêntica à
8086), e a vários outros fabricantes de hardware, vendido então como
MS-DOS.

Terceira parte, as interfaces gráficas:

Xerox Palo Alto Research Center (PARC) foi uma importante
divisão de pesquisa da Xerox Corporation baseada em Palo Alto,
Califórnia, nos EUA. O PARC foi fundado em 1970 e transformou-se em uma
companhia autônoma em 2002. Ele é famoso por ter sido o berço de
invenções como a interface gráfica dos computadores pessoais (GUI),
popularizada pela Apple Computer com o Macintosh e copiada em seguida
por outros sistemas operacionais (como o Windows e o GNU/Linux).

Quarta parte, a estrutura DOS:

O DOS acessa as partições através de unidades (sendo que a primeira
partição é identificada por C:). O DOS tinha um interpretador de
comandos que não suportava redirecionamentos ou pipes, chamado de
COMMAND.COM. No DOS programas são identificados através de extensões
permitindo (pois a pasta em que o usuário acessava era um dos caminhos
onde o interpretador buscava por comandos) que vírus se propagem mais
facilmente.

O DOS não tem um sistema de permissões avançados (fazendo a atividade
de vírus bem eficazes), não é multiusuário e não é multitarefa. O DOS
utiliza uma API que depende diretamente de um processador 16-bit. Em
computadores 32-bit o DOS poderia acessar mais memória com o uso de dos
extenders, e somente após a publicação do DPMI isto ficou padronizado.
Um DOS extender é como um mini-sistema operacional. Com isso concluímos
que o DOS era um sistema operacional para processadores 16-bit,
tecnologia obsoleta, que influenciou várias versões Windows, por
consequência obsoletas também.

Quinta parte, o Windows:

Os Windows 3.11, 95, 98, 98SE e ME usavam quase que por
completo a péssima estrutura DOS. Um dos grandes avanços do Windows 95
foi utilizar uma nova API, a PE (Portable Executable), mesmo que ela
tenha sido baseada em uma das APIs obsoletas do UNIX, a COFF. Isto fez
o Windows torna-se mais portátil e permitiu que ele fosse utilizado em
mais processadores.

Sexta parte, o XP:

O Windows XP abandonou suporte a DOS, foi independente do DOS e
foi o primeiro com bons recursos multiusuário. A história do Windows é
cercada por várias falhas de segurança e vários bugs, além do
inexplicável péssimo desempenho. Apesar de não suportar programas DOS,
o Windows XP ainda utiliza várias características da estrutura do DOS
para manter um pouco de compatibilidade com programas antigos.

Hoje muitas pessoas continuam usando o XP, pois o novo Windows da
Microsoft, o Vista, tem um imperdoável desperdício de recursos e uma
compatibilidade não tão boa com hardware antigo (alguns dizem que estas
características foram feitas após a Microsoft receber propina da Intel
e da nvidia, porém talvez seja só um boato).

A Microsoft está usando seus recursos para inutilizar o XP e fazer as
pessoas comprarem seu novo sistema operacional, o Vista, porém esta
talvez não seja uma boa estratégia, pois o Vista é um sistema
ineficiente, caro e com várias falhas, e muitas pessoas não acham
inteligente pagar caro por um sistema ruim.

Unix vs DOS – As diferenças

Unix DOS
Usa pontos de montagens para acessar os arquivos Usa letras para identificar partições
Multiusuário Monousuário
Multi-tarefa Mono-tarefa
Identifica tudo como um arquivo e usa um sistema de permissões avançado Concede controle total sobre o sistema para qualquer programa e tem um monte de vírus
ELF DOS API/ABI
Independe de arquitetura específica Só funciona BEM em 16-bit
Permite redirecionamento e pipes COMMAND.COM não tem nenhum recurso avançado
Altamente configurável (e adaptável) Pode escolher o layout do teclado
X Window System OpenGEM ou Windows 3.11
Estável (culpa dos desenvolvedores) Instável (culpa dos desenvolvedores)
Inovações foram constantes até que atingiu-se o ponto onde é perfeito para servidores Um
grande colcha de retalhos (tem até DOS Extenders, que são como
mini-sistemas operacionais, só para tirar proveito de arquiteturas x86)

Com o tempo a Microsoft foi abrigada a fazer um novo sistema
operacional, mas claro que usou quase todas as características do DOS e
o Windows está se tornando uma colcha de retalhos. Quando o Windows
ficar obsoleto demais e a Microsoft tiver de fazer um novo sistema
operacional talvez eu faça um novo artigo.


http://www.vivaolinux.com.br/artigo/Historia-da-informatica-Um-pouco-de-datas-e-especificacoes

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s