Ressuscite seu HD que não consegue mais dar boot no PC

Fernando Petracioli, especial para PC World*

Utilize um segundo disco rígido, com sistema operacional instalado, para recuperar seu drive que não quer mais inicializar.

Reportagem feita a partir de dúvida de leitor; saiba mais

hd_boot_150.jpgUm
dos maiores pânicos que se pode passar na frente de um computador é a
situação de não conseguir mais inicializar o sistema a partir do disco
rígido – justamente aquele que contém todas as suas informações mais
importantes, como documentos, fotos e conteúdo multimídia.

Mas saiba que, apesar de complicada, existem algumas soluções de contorno. Caso você tenha se precavido e criado um CD ou DVD de boot, utilize-o para tal fim. Dê boot no PC, faça backup dos dados que estão no HD problemático, formate-o, reinstale o sistema operacional, seus aplicativos, dados e toque a vida.

Se ainda assim você não puder acessar o HD que está com problemas, é provável que o dano seja físico (hardware), e as
notícias não são das melhores. Será necessário enviar o disco HD para
empresas especializadas que possam tentar corrigir o erro ou ao menos
recuperar a informação que esteja armazenada nele, ainda que se possa fazer isso por software.

Na melhor das hipóteses, o problema é ‘apenas’ de software. Por
qualquer
motivo, a BIOS não consegue acessar a área do HD onde as informações
do sistema operacional estão armazenada. Isso pode ocorrer porque a
área de boot pode estar danificada ou algum arquivo necessário para a
inicialização pode ter sido corrompido, alterado ou mesmo apagado
acidentalmente. Apesar disso, a área de dados ainda pode estar
acessível.

Se esse for o seu caso, você pode tentar trazer seu
HD de volta à vida e acessar os dados que estão lá, desde que possa
contar com um outro disco rídigo (com sistema operacional instalado) –
quem sabe emprestando-o de outro PC – e dar boot a partir dele.

Nessa situação, tentar dar o boot utilizando um outro disco rídigo
que possua o sistema operacional instalado pode ser a saída. Mas para
isso, será necessário transformar o HD existente no seu PC em escravo,
e o ‘novo’, em máster.

Para saber como fazer isso corretamente, é preciso entender alguns princípios de como o hardware do seu computador funciona.

Um pouco de informação técnica
Toda placa-mãe que se preze
possui ao menos duas entradas para discos rígidos – seja padrão IDE ou
SATA, os mais usados atualmente. E é justamente o fato de se ter mais
de uma porta que as chances de recuperar suas informações aumentam.

Para entender como isso é possível é preciso antes conhecer como um computador lida com os discos rídigos: 

Máster (Mestre) – Recebe essa denominação o HD que
possui o sistema operacional instalado. É nele que a BIOS vai buscar
todas as informações necessárias para o boot.

Slave (Escravo) – Caso o PC possua mais de uma unidade
de disco rígido, ela é considerada escrava da primeira e se presta,
apenas, para armazenamento de dados e aplicativos.

O que diz ao HD e à BIOS se um determinado disco rígido terá papel
de máster ou slave é uma combinação de fatores, como se verá a seguir. 
Antes de iniciarmos um passo-a-passo, é necessário saber qual o tipo de
HD você está usando (tanto o antigo – problemático -, quanto o novo,
‘salvador da pátria’): dois IDE, dois SATA ou um IDE e um SATA.

Discos IDE
Este padrão de disco é facilmente identificável pelo seu cabo ‘flat’, largo e achatado que liga a controladora – na placa mãe (veja imagem abaixo) – ao HD propriamente dito.

cabo_ide.jpg

Controlador IDE possui cabo ‘flat’, que é largo e achatado

Caso o disco rídigo instalado (o problemático) seja IDE, você terá
que alterar a maneira como o PC deve reconhecê-lo, tranformando-o de
máster (afinal ele era o HD de boot), para slave.

Isso é feito modificando a posição de encaixe do jumper (pequenino
conector plástico que está instalado na parte traseira do HD). Na
imagem abaixo, note que o jump conecta o 4o par de pinos do
segundo conjunto de conectores. Esta posição é a que determina o papel
que o HD vai representar na máquina em questão.

hd_IDE.jpg

O jumper deve se conectar a dois dos oito pinos disponíveis na parte traseira do HD padrão IDE

Para saber quais posições de jumpeamento correspondem a um HD máster
e quais são para os escravos, você terá que consultar o manual do seu
HD ou o site da fabricante, a princípio. No entanto, algumas placas
trazem essa informação indicada no próprio dispositivo (veja imagem).

jumpeamento_indicado.jpg

Exemplo de HD em que posicionamento dos jumpers já está indicado

Não se esqueça que o ‘novo’ HD precisa ser configurado como máster
para que o PC tenha condições de dar boot a partir dele. Caso a
marca/modelo do HD seja diferente (e é muito provável que seja) do
disco rídigo que está instalado em seu sistema, será necessário
descobrir a posição de jumpeamento que deverá ser adotada. E não se
esqueça de ligar o cabo de força nele, caso contrário, não irá
funcionar.

Discos SATA
Os discos padrão SATA possuem um cabo bem mais estreito em relação ao modelo IDE, o que já é o suficiente para distingui-los (na imagem abaixo é o cabo amarelo).
Se você possui dois HDs SATA, o procedimento será diferente. Em uma
placa mãe com mais de uma porta desse padrão de drive, o HD que estiver
plugado na porta de número mais baixo (sempre 1 ou zero, a depender da
placa) será o máster. Mas como saber qual é a porta número 1 ou zero?

hd_sata.jpg

HD padrão SATA: note que o cabo (amarelo) é mais fino do que o IDE

Bem, se só houver o seu HD antigo instalado na motherboard, não
haverá dúvidas, pois ele necessariamente estará conectado à porta
correta – caso contrário, o PC jamais teria dado boot.

Se você já tinha dois ou mais SATA instalados, será preciso
descobrir qual é a porta de número menor. Com só um pouquinho de sorte,
essa informação estará escrita na própria placa-mãe – é o mais provável
(veja imagem abaixo). Caso contrário, você terá que consultar o
manual ou site do fabricante e checar as especificações do seu modelo
de motherboard.

controladora_sata.jpg

Numeração dos conectores SATA pode ser identificada na própria placa-mãe

IDE + SATA
Se você tiver os dois padrões de disco rígido –
um IDE e um SATA, por exemplo – terá que mexer na BIOS de seu
computador e por meio dela avisar seu sistema que o boot deve ser feito
a partir de um controlador SATA ou IDE, conforme o caso.

Para exemplificar: se seu HD com problemas é IDE, e você vai usar um
SATA para a operação de salvamento, deve colocar no BIOS que a
incialização será feita por um disco SATA. No caso de usar um disco IDE
para o novo boot, será necessário avisar a BIOS disso e configurar o
jumpeamento desse HD para que ele atue com máster.

controladora_ide_sata.jpg

Placa-mãe com controladores para drives IDE e SATA

Caso tudo tenha corrido como esperado, você consiguirá
dar boot no sistema e acessar o outro HD, que a essa altura estará
acessível com uma outra letra, por exemplo, "D:" (dependendo da que
estiver sido atribuída para outros unidades de armazenamento instaladas
no PC, como os drives ópticos).

Aproveite para fazer backup dos dados e resinstalar o
sistema operacional, caso consiga e deseje (se tiver de ‘devolver’ o
disco rídigo que utilizou para o boot).

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s