18 recursos que o Windows deveria ter, mas não tem

Por Robert Strohmeyer, da PC World/EUA

Algumas das funções mais bacanas para um sistema operacional não podem ser encontradas no Windows XP nem no Vista.

windows_features_150Ou você o ama, ou o odeia. Não importa: o fato é que o
Windows é o sistema operacional mais usado do mundo. O curioso é que, quando olhamos
para alguns dos melhores recursos dos sistemas concorrentes, como o Linux e o Mac
OS X, tanto o XP quanto o Vista podem parecer um tanto incompletos.

Da interface intuitiva demonstrada pelo Apple Application
Dock e Cover Flow às habilidades básicas de mídia como a produção de imagens
ISO, o Windows quase sempre deixa a desejar. E recursos que outros sistemas oferecem
como padrão – como o processamento de 64 bits e ferramentas de trabalho em rede
– exigem licenças topo-de-linha do Windows.

Demos uma garimpada na maioria dos sistemas, do Mac ao Linux
e ao PC-BSD. O resultado foi essa lista, que traz nossos recursos favoritos – e
poucos deles vêm como padrão em qualquer sabor de Windows. Chegamos até a
relembrar alguns sistemas operacionais do passado, e vimos que mesmo esses têm recursos
que a Microsoft ainda não se dispôs a incorporar.

Alguns desses recursos simplesmente não serão disponíveis no
Windows de jeito nenhum, por causa do modo que o sistema foi projetado. Mas é
possível adicionar a maioria deles ao XP e ao Vista. E, com a ajuda de
aplicações de terceiros, e nós lhe mostraremos como obtê-los.

1. Expose

Disponibilidade: Mac

Eis uma idéia elegantemente simples, e que existe no Mac
desde 2003. Quando se precisa de uma visão limpa de todas as aplicações abertas
em um dado momento, basta pressionar F3. Um recurso chamado Expose organizará
as janelas usando miniaturas, que serão espalhadas organizadamente por toda a tela.
Clique em uma delas, e a aplicação será ampliada, enquanto o resto permanecerá no
plano de fundo.

145118-Expose

No Windows Vista, a Microsoft embutiu um recurso chamado
Flip3D, que tenta simplificar o gerenciamento de janelas de um jeito
ligeiramente diferente. O Flip3D permite que os usuários saltem por amostras tridimensionais
das janelas abertas na área de trabalho, mas que não oferece a mesma
visibilidade instantânea que o Expose faz.

Felizmente, alguns downloads podem adicionar miniaturas no
estilo do Expose a seu Windows. Uma ferramenta, chamada iEx for Windows, faz o
truque de graça; mas a instalação é um tanto trabalhosa, já que é preciso
arrastar os arquivos baixados nas pastas certas de seu PC. Um programa mais
refinado, TopDesk, instala-se automaticamente no XP e no Vista – mas vai exigir
o pagamento de US$ 20 depois do período de testes de 14 dias.

2. Virtual Workspaces

Disponibilidade: Linux, PC-BSD, Mac

Faz tempo que os usuários de Linux têm a liberdade de manter
um grande número de aplicações rodando ao mesmo tempo, sem entulhar janelas na
tela, graças ao poder das áreas de trabalho virtuais. Em uma instalação Linux típica,
quando o sistema é carregado, quatro áreas de trabalho criadas automaticamente são
representadas por uma pequena guia no painel do canto da tela.

145118-Spaces

À medida que o usuário abre mais programas, ícones em miniatura
dessas telas começam a ocupar essa guia, indicando qual programa está rodando
em cada área de trabalho. Para mudar de área de trabalho, o usuário
simplesmente clica na área apropriada da guia ou usa uma combinação de teclas
como Shift e seta direita para se mover entre elas.

Com as múltiplas áreas de trabalho, vêm também a habilidade
de organizar o ambiente do desktop Linux por tarefa, por tipo de aplicação, por
prioridade, ou por qualquer outro jeito que você gostar. É particularmente útil
manter um punhado de aplicações fora de alcance, sem ter que se preocupar em fechá-las. Eu, por
exemplo, gosto de manter meu mensageiro instantâneo em uma janela separada de
meu programa de criação de documentos, como forma de permanecer focado em meu
trabalho.

A Apple adicionou este conceito ao Mac OS X com o lançamento
do Leopard em outubro de 2007, apesar de o recurso Spaces do Leopard não trazer
as miniaturas dinâmicas (uma coisa que seus ancestrais Linux oferecem) no ícone
Dock. Para reproduzir essas áreas de trabalho no Windows, contudo, você terá de
fazer algum tipo de download.

Usuários de XP têm uma solução fácil com o Microsoft Virtual
Desktop Manager, um download grátis da coleção PowerToys. Para o Vista, será
preciso escolher um dos diversos utilitários de terceiros. Meu favorito entre
eles é um gratuito chamado Dexpot, que oferece uma ampla variedade de opções de
configuração.

3. Back to My Mac

Disponibilidade: Mac

Nada combina tanto com o sentimento que você tem quando,
sentado em sua mesa de trabalho, liga o PC e percebe que a versão mais recente
do documento no qual está trabalhando está a 80 km de distância, em seu
micro doméstico.

145118-Back-to-my-Mac

Se esses dois computadores forem Macs rodando Leopard, você
poderia usar o Back to My Mac (parte do serviço .Mac da Apple, que custa US$ 99
por ano), para iniciar uma conexão com o computador remoto, copiar os arquivos
necessários, e até navegar pelo desktop da outra máquina como se estivesse
sentado diante dela.

Se um de seus PCs estiver rodando Windows, no entanto, nem
todas as contas .Mac do mundo poderiam ajudá-lo. Em vez disso, tente o GoToMyPC.
Por um preço inicial de US$ 20 por mês (US$ 180 por ano), este não é um serviço
barato. Mas vai lhe dar acesso irrestrito a seu computador com Windows a partir
de qualquer navegador Web.

4. Compartilhamento de tela

Disponibilidade: Mac

Quando o Mac OS X Leopard chegou às prateleiras no ano
passado, ele veio com um prático upgrade no iChat (o cliente AIM da Apple) que
permite que um usuário de Leopard compartilhe telas com seu interlocutor em
tempo real.

145118-Screen-Sharing

Quer mostrar a seu amigo o que você está vendo naquele
instante? Simplesmente compartilhe sua tela com ele. Ou peça a ele para que
compartilhe a dele com você. É grátis. Você tem uma visão exata de tudo que ele
pode ver, e ainda pode controlar o ponteiro do mouse dele quando necessário. É
um modo prático de consertar o computador de sua sogra sem ter de ir realmente
visitá-la (não que você se importasse de ir até lá, claro).

O Windows Meeting Space, embutido no Vista, oferece uma
funcionalidade similar, mas apenas sobre rede local. Assim, compartilhar sua
tela com um parente distante não é uma opção. Felizmente, uma ferramenta Web
chamada LiveLock permite que você compartilhe sua tela em intervalos, não
importa que sistema operacional você ou seu colega remoto esteja rodando, e não
exige nenhuma sessão de mensageiro instantâneo para funcionar.

Simplesmente entre no LiveLook.net e clique em Show My Screen. O LiveLook lhe
dará um número único de sessão para compartilhar com seu amigo. Quando ele digitar
esse número no LiveLook.net, imediatamente verá sua tela. Depois do período de
testes de 14 dias, o LiveLook salta para exorbitantes US$ 40 por mês – como
alternativa, há um plano de uso tabelado em 2,5 centavos de dólar por minuto.

5. Time Machine

Disponibilidade: Mac

O utilitário de backup Time Machine da Apple é um dos
recursos mais bacanas do Leopard; com sua ajuda, copiar todos os seus arquivos
para um drive externo é uma tarefa à prova de idiotas. Melhor ainda, ele permite
recuperar rapidamente uma versão antiga de qualquer arquivo do backup; assim,
você poderá desfazer todos aqueles erros terríveis.

145118-Time-Machine

O Windows XP, e muitas versões do Vista, não tem tal
recurso. Sim, eles têm um utilitário de backup, mas que nem chega perto da
facilidade que é trabalhar com o Time Machine, e que não fará nada para
ajudá-lo a encontrar versões perdidas de seus arquivos importantes. Mas três
versões do Vista (Ultimate, Business e Enterprise) vêm com um utilitário
chamado Shadow Copy, que permite recuperar versões antigas de seus arquivos
clicando-os com o botão direito e escolhendo Restore Previous Versions no menu
contextual.

O que poucas pessoas sabem é que as versões mais baratas do
Vista (incluindo a Home Basic e a Home Premium) também gravam os dados
necessários para que o Shadow Copy funcione – eles simplesmente não lhe dão
acesso aos dados. Um utilitário gratuito chamado Shadow Explorer pode liberar
esses dados, deixando que você restaure versões antigas de praticamente
qualquer arquivo em seu disco rígido, sem forçá-lo a comprar uma atualização
mais cara e desnecessária do sistema operacional.

6. Gravação de imagem ISO

Disponibilidade: Mac, Linux, PC-BSD

O Mac OS pode fazer isso. O Linux pode fazer isso. O PC-BSD
e quase todos os sistemas operacionais modernos fazem isso. Mas, por alguma
razão, o Windows não queima imagens ISO para um CD sem a ajuda de um programa
de terceiros.

145118-iso-recorder

Se você quer gravar a imagem de um CD em certa ocasião, mas
não quer comprar um software só para isso, tente o gratuito ISO Recorder, de
Alex Feinman. Disponível para XP e Vista, o ISO Recorder adiciona o recurso de
queimar imagens em disco ao seu menu contextual sempre que você clicar em um
arquivo ISO. É um utilitário simples e pequeno que faz justamente aquilo para o
qual foi projetado e nada mais. O ISO Recorder está disponível em versões de 32
e 64 bits para Vista, e as versões de Vista têm suporte a queimar tanto CD
quando DVD.

7. Adesivos

Disponibilidade: Mac, Linux

O que não falta na Web são aplicações e sites esperando para
ajudá-lo a fazer sua lista de tarefas – mas, para ser realmente notado, nada
supera um bom e velho adesivo amarelo do tipo Post-It. Os Macs há tempos têm um
aplicativo chamado Stickies que adiciona a funcionalidade a seu desktop,
deixando que você cole bilhetinhos em qualquer lugar, escolha a cor do papel, e
ajuste a fonte da letra a seu gosto. Muitas distribuições Linux vêm com um
utilitário chamado TomBoy Notes, que leva a idéia do Stickies a um novo patamar
ao integrar funções de hiperlink que tornam essas notas excelentes para
exercícios de brainstorming.

145118-stickies-for-windows

Falando tecnicamente, o Windows Vista agora inclui um
recurso similar na forma de um gadget Notes, na barra lateral do Windows. Este
pequeno aplicativo, contudo, é uma pálida imitação das contrapartidas do Linux
e do Mac. Quer um aplicativo de bilhetes adesivos realmente bom? Tente o Stickies
for Windows. Este programa simples, gratuito e de código aberto lhe deixará
personalizar suas notas de acordo com sua vontade, e que poderão ser coladas em
qualquer lugar de seu desktop.

8. Captura de podcast

Disponibilidade: Mac

Outro grande recurso introduzido com o sistema operacional
Leopard da Apple é o Podcast Capture, um utilitário projetado para fazer do
podcast algo simples e rápido – isto é, se acontecer de você ter acesso a um
servidor Mac OS X rodando o robusto software Podcast Producer. É uma idéia simpática,
mas mesmo a iniciativa da Apple dificilmente atende à necessidade de um
podcaster comum, já que quase ninguém tem um servidor Mac OS X. Em compensação,
todos os Macs novos vêm com o Garage Band pré-instalado, o que permite um
trabalho excelente na criação de podcasts usando simplesmente o hardware
embutido do Mac.

145118-audacity

Felizmente, você pode integrar a criação rápida e fácil de
podcasts a seu Windows (ou a seu Mac, se preferir) com o Audacity. Esta
aplicação gratuita permite que você grave seu próprio áudio, edite e agregue
efeitos sonoros adicionais a seu podcast, e altere os controles de qualidade
para que se obtenha o equilíbrio perfeito entre a fidelidade de áudio e o
tamanho do arquivo. Quando você terminar de gravar seu podcast com o Audacity,
use o EasyPodcast para preencher os metadados que tornarão seu podcast fácil de
encontrar no vasto mar de podcasts da rede.

9. Repositórios de software

Disponibilidade: Linux, PC-BSD

Em um mundo perfeito, você nunca precisaria levantar da
cadeira para encontrar ótimos softwares para seu PC. Bastaria abrir um
utilitário mágico de busca de software e clicar em algumas opções, e então sua aplicação
se instalaria sozinha de forma instantânea. Este mundo perfeito já existe no
Linux, que há tempos oferece repositórios de software como um jeito fácil de
encontrar e instalar programas novos.

145118-synaptic

No Ubuntu, por exemplo, um utilitário chamado Synaptic
Package Manager permite navegar por extensas bibliotecas online de software
(chamadas repositórios) para localizar e instalar aplicações e utilitários conforme
solicitado. Selecione uma e marque-a para instalação, e ela automaticamente
instalará quando você clicar em
Apply. Ela até trará de forma automática qualquer arquivo
adicional do qual sua instalação dependa, sem exigir qualquer trabalho
adicional.

Os distribuidores Linux podem fazer isso porque praticamente
todo o software nesses repositórios são código aberto; eles raramente têm de se
aborrecer com restrições de licença de uso para cercear seu trabalho. No mundo
Windows, contudo, as coisas são mais complicadas. Um emaranhado de tipos de
licença, variando de freeware a shareware e trialware e mesmo um pequeno volume
de código aberto torna difícil para qualquer um construir uma biblioteca de
software confiável com a funcionalidade de clique e pegue que os usuários de
Linux têm há tempos como garantido. Até que alguém construa uma enorme biblioteca
de aplicações Windows auto-instaláveis, nós iremos depender de sites como
Download.com, Tucows e, é claro, a Biblioteca de Downloads da PC World.

10. Desktop Cube

Disponibilidade: Linux, PC-BSD

Alguns dos nossos recursos favoritos podem não ser tão
práticos, mas que são vistosos, não há dúvida. Tome como exemplo o Compiz
Desktop Effects, do Linux. Nós não diríamos que transformar suas áreas de
trabalho em um cubo giratório, atear fogo à tela e fazer chover em seu desktop
tenha algum valor de missão crítica. Mas isso não quer dizer que não deixamos
de gostar desses recursos.

145118-cube

Com o lançamento do Ubuntu 7.10 Gutsy Gibbon em outubro de
2007, o Desktop Effects se tornou um recurso padrão do Ubuntu. Agora qualquer
usuário Ubuntu com uma placa gráfica compatível pode rodar seus cubos, fazer
quicar suas janelas, e disparar uma série de outros atrativos para os olhos.

Os usuários invejosos de Windows queriam recursos
semelhantes, e a Otaku Software respondeu. Mas a versão para Windows é mais
modesta. O DeskSpace, da Otaku, permite que você transforme seu desktop em um
cubo de quatro áreas de trabalho, tal como o do Linux. Você pode ajustar os
níveis de transparência, a velocidade da rotação, e os efeitos de reflexão, e
você pode até arrastar as janelas de aplicação de uma face a outra do cubo. Mas
é tudo que o DeskSpace pode fazer. E, ao contrário do Compiz, que é gratuito, o
DeskSpace lhe pedirá US$ 20 depois dos 14 dias iniciais de teste.

11. Application Dock

Disponibilidade: Mac

A peça central de todo desktop Mac é um pequeno utilitário
chamado Dock. É como uma plataforma de lançamento para suas aplicações mais
utilizadas, e você pode personalizá-lo para receber tantos programas quanto
você queira. Diferentemente do Menu Iniciar do Windows e da Barra de Tarefas, o
Dock é um espaço onde você pode acessar rapidamente suas aplicações com um
simples clique.

145118-ObjectDock

Agora você pode adicionar um Dock simples a seu PC com
Windows com o ObjectDock da Stardock. O ObjectDock fica sobre sua barra de
tarefas e se comporta como o Dock do Mac, com aquele efeito de ampliação que
aumenta o ícone quando se passa o mouse sobre ele. Ele também pode esconder a
Barra de Tarefas, dando a seu sistema a mesma aparência elegante que os
usuários do Mac adoram. A versão padrão é gratuita, mas a versão de US$ 20
oferece mais animações, Docks com abas, a habilidade de ter mais que um dock em
uma única tela, e outras opções.

12. Captura automática de tela

Disponibilidade: Mac

Capturar telas no Windows nunca foi tão fácil como deveria.
Certo, ela já é simples: você pressiona a tecla Print Screen, e a tela
atualmente exibida é copiada para a Área de Transferência. O que fazer em
diante é outro assunto. É com você abrir o Paint ou outro editor de imagem,
colar a tela capturada na janela de aplicação e salvá-la. Que transtorno.

145118-better-screenshots

No Mac, contudo, as coisas são mais fáceis. Quando você
pressiona Command Shift 3, uma imagem da tela inteira é salva instantaneamente
em sua área de trabalho. Pressione Command Shift 4 e o ponteiro do mouse se
transforma em uma cruz que lhe permite delimitar a área de captura. Você pode
escolher a extensão que quiser.

Você pode melhorar esse recurso no Windows com um utilitário
de US$ 15 chamado Better Screenshots. Ele permite que você associe uma
seqüência de teclas pra capturar telas cheias, telas parciais e até ações em movimento. Ele
então salva automaticamente para qualquer pasta que desejar, no formato que
escolher.

13. Comandos de trackpad multitoque

Disponibilidade: Mac

Começando com a nova geração de MacBooks, todos os notebooks
da Apple agora suportam pelo menos algum comando multitoque. Você pode usar
dois dedos para fazer coisas legais como rolar a tela para cima e para baixo,
redimensionar objetos na tela, navegar pelos menus Cover Flow, e mais. Alguns
Macs podem fazer mais que outros, mas todos agor reconhecem dois dedos no
trackpad de um jeito ou de outro.

A Apple conseguiu isso, é claro, porque ela produz seu
próprio hardware. A Microsoft, por sua vez, só produz software. Contudo, alguns
fabricantes de notebooks como a AsusTek começam a oferecer em seus portáteis
trackpads multitoque, bem como drivers que permitem fazê-lo funcionar. Nós
gostaríamos de ver o multitouch se tornar padrão em todos os laptops Windows
com o tempo – com suporte a comandos multitoque construído diretamente no
Windows – mas por enquanto isso é algo que você terá de buscar quando for
escolher seu notebook novo.

14. Cover Flow

Disponibilidade: Mac

Nós todos absorvemos informação em diferentes níveis, e
alguns de nós lidamos melhor com informação visual. Esse é o principal apelo do
Cover Flow da Apple, que permite a usuários de Mac OS X navegar por entre
pastas, arquivos, músicas, e outras informações visualmente. Com um arrastar da
barra de rolagem ou o pressionar das teclas de navegação, você pode examinar
seus arquivos um de cada vez, visualizando cada objeto como uma prática
miniatura , em vez de ver tudo como um punhado de ícones obscuros.

145118-Cover-Flow

O Vista tem se esforçado em melhorar a interface do Windows
Explorer, mas o Windows ainda precisa integrar algo tão dinâmico como o Cover
Flow. Com um utilitário gratuito chamado Harmony, no entanto, você pode
adicionar a navegação semelhante ao do Cover Flow no Windows. O Harmony
funciona apenas com arte gerada para o iTunes, e não se integra ao Windows
Explorer. Independentemente disso, é um jeito simples e gratuito de adicionar
alguma ação no estilo do Cover Flow à sua experiência com o Windows Media
Player.

15. Servidor Web pré-instalado

Disponibilidade: Mac, Linux, PC-BSD

Nem todo mundo precisa hospedar um site Web em seu próprio
PC. Mas algumas pessoas sim, seja para seu blog pessoal ou para algumas páginas
que ela gostaria de compartilhar em sua rede interna. E quando as pessoas criam
uma página Web em seu computador, elas geralmente escolhem Linux ou Mac OS X
para o trabalho, porque algumas versões do Windows não vêm com um servidor Web
pré-instalado.

145118-iis

No Windows Vista Home Premium, Business, Enterprise e
Ultimate, você pode instalar o Internet Information Services da Microsoft. A
partir do Control Panel, clique em Programs and Features, e escolha Turn
Windows features on and off" no painel esquerdo. Na lista Features, marque
Internet Information Services e certifique-se de que Web Management Tools e
World Wide Web Services também estejam marcados.

Se você está rodando Windows XP Home ou Vista Basic, no
entanto, você terá que baixar e instalar o Apache http Server. Uma vez
instalado, o Apache deixará que você hospede suas páginas Web (com encriptação
SSL, se quiser) em um pasta de seu PC com Windows.

16. Compatibilidade POSIX

Disponibilidade: BeOS, Mac, Linux, PC-BSD

Fora do desktop Windows, boa parte dos softwares do mercado
é escrita em conformidade com um padrão Unix chamado POSIX. E qualquer sistema
operacional que siga o padrão POSIX poderá rodar a maioria dos softwares
escritos para Unix, incluindo a ampla variedade de software gratuito e de
código aberto escrito para Linux. O Linux e o PC-BSD estão, por definição, em
conformidade com o POSIX. O Mac também, porque deriva do BSD. Até o finado BeOS
tinha suporte aos padrões do POSIX. Mas o Windows não.

145118-cygwin

Enquanto os usuários das edições Vista Enterprise e Ultimate
possam em teoria adicionar uma versão Microsoft do POSIX conhecida como
"Subsistema para Aplicações baseadas em Unix" a seus PCs, nossas experiências
com esse recurso mostraram-se mais frustrantes que frutíferas. Um jeito mais
eficiente de implementar POSIX a qualquer instalação Vista ou XP é rodar o
Cygwin.

Este emulador gratuito de Linux instala-se em segundos, e suporta uma
variedade de programas populares baseados em Linux que foram reconstruídos
especificamente para rodar com o Cygwin. Ele também funciona como um prompt de
comando Linux, permitindo a você rodar comandos no estilo Linux a partir do
Windows. Apesar que o Cygwin não oferecer suporte completo a todos os softwares
para Linux em seu PC
com Windows, ele lhe abrirá as portas para alguns recursos básicos do Linux.

17. Cabeçalho de menu padronizado

Disponibilidade: Mac

Navegar entre menus de aplicações no Windows pode ser um
pesadelo, porque não há no Windows um cabeçalho de menu unificado para todas as
aplicações. No Mac OS X, os menus de aplicações são completamente padronizados.
Praticamente todos os programas Mac têm a mesma configuração de menus no topo
da tela, consistindo do menu Apple (que equivale, grosso modo, ao menu Iniciar
do Windows), seguido pelas opções do menu da aplicação.

145118-menu-ribbon

Como essa interface é
padrão para todas as principais aplicações do Mac, os usuários sempre sabem
onde procurar quando precisam encontrar os controles mais importantes.

Mas os programas do Mac são projetados tendo-se em mente
esse cabeçalho de menu, enquanto os programas do Windows não. Por isso, não há
jeito perfeito de implementar tal recurso no Windows. O ObjectBar da Stardock
chega bem perto disso. O ObjectBar é um utilitário que dá nova pele à Barra de
Tarefas e ao Menu Iniciar do Windows.

Uma vez instalado, o MacPC do ObjectBar
irá transformar sua Barra de Tarefas em um cabeçalho de menu no estilo do Mac.
Ele até duplica os menus da maioria das aplicações do Windows, assim você pode
controlá-las a partir do topo da tela, como você faria no Mac OS X (os menus
ainda estarão disponíveis em usa aplicação, contudo). O ObjectBar trabalha
atualmente apenas com o XP, mas uma versão para o Vista deverá ser liberada em
breve.

18. Aplicações de arquivo único

Disponibilidade: Mac

Nada mancha mais a reputação da Microsoft do que o item
Adicionar/Remover Programas do Painel de Controle do Windows. A mera existência
dessa ferramenta é um sinal de que as aplicações para esse sistema tem se
tornado muito grandes e intratáveis para a maioria dos usuários. No Mac,
contudo, poucos programas consistem de mais de um arquivo. E remover uma
aplicação do Mac geralmente consiste em simplesmente arrastar seu arquivo para
a Lixeira.

145118-Single-File

Para se beneficiar do mesmo nível de simplicidade no
Windows, você terá de tentar a execução de aplicações portáteis (veja o artigo
de Scott Dunn, Carry a PC in Your Pocket). É claro, ao fazer isso você terá de
abrir mão de alguns dos robustos recursos que você poderia preferir em seus
programas Windows, por isso não recomendamos. A menos que a Microsoft dê uma
volta radical no projeto da próxima versão do Windows, é razoável esperar que o
software para Windows se torne cada vez mais – e não menos – complicado.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s