O que precisa ter um PC para atender às necessidades dos gamers?

Por Cauã Taborda, especial para a PC World

Para suportar gráficos de tirar o fôlego e o desempenho exigido pelos novos jogos é necessário máquinas superpotentes.

Reportagem feita a partir de dúvida de leitor; saiba mais
 

Os jogos eletrônicos têm alcançado proporções nunca imaginadas, evoluindo junto com a tecnologia e com a criatividade dos desenvolvedores.

Hoje contam com gráficos que simulam a realidade com perfeição, enredos e histórias dignas do cinema e muita ação e diversão.

Os jogos estão presentes desde o início da computação pessoal e alguns clássicos marcaram época como os rústicos Telejogo e Pac-Man, evoluindo para games como Crysis e Age of Empires.

Para conseguir desfrutar de toda a potencialidade que os mais modernos jogos trazem, o usuário deve contar com uma máquina poderosa. O resultado são equipamentos de grandes dimensões e excepcionalmente caros.

O preço é decorrência dos muitos recursos de hardware que devem estar presentes no equipamento para que ele possa dar conta do processamento exigido. Confira abaixo algumas características que todo bom PC para gamer deve possuir.

pcgamer_dell_xps

Grande: Dell XPS para gamers é potente, pesado e muito grande

Processamento
Quando os games trabalhavam com processamento único, dentro das limitações impostas pela tecnologia disponível, a preocupação básica da maioria dos jogadores estava relacionada à placa gráfica.

Sem dúvida, ela ainda é a maior responsável pelo desempenho e qualidade do game, mas não está sozinha.

Os games, assim como a computação em geral, passaram por uma revolução com a chegada do multiprocessamento, explica Roberto Brandão, gerente de tecnologia da AMD. "Com o tempo, os games se adaptaram ao multiprocessamento e o resultado é uma maior qualidade nos gráficos".

O gerente da AMD explica que os jogos aceitaram muito bem a praticidade de mais de um processador, evoluindo e ajudando a exigir cada vez mais desempenho das máquinas.

Um processador potente, preferencialmente de dois ou mais núcleos (dual-core ou quad-core), é peça fundamental em um PC direcionado para um jogador.

Memória
Outro item muito importante é a memória RAM, utilizada para armazenar trechos específicos do game, como filmes internos em avi, por exemplo. Um PC com pouca memória iria levar mais tempo para carregar e trabalhar esses "filmes", além de causar lentidão nos famosos "loadings", ou seja, no carregamento de dados entre determinadas áreas do jogo.

Quanto mais memória, mais suave serão estes momentos de transição. A maioria dos sistemas desenvolvidos especificamente para gamers vêm com 4 gigabytes de memória RAM – mas é importante lembrar que tal capacidade exige sistemas operacionais em 64 bits, pois possuem uma melhor arquitetura e trabalham com mais memória ao mesmo tempo.

Testes realizados em nossos laboratórios com um sistema equipado com 4GB de RAM e rodando o Windows Vista em 32 bits só conseguiu identificar 3GB de memória, mesmo com quatro pentes de 1GB instalados.

Armazenamento
Outra característica importante é o disco rígigo (HD), que deve ter muito espaço disponível. A maioria dos games de última geração ocupa mais de 4GB. Outra característica importante é a velocidade do HD. Segundo Brandão, da AMD, os discos rígidos mais indicados são os Serial ATA 1 e 2, com velocidades de 10.000 RPM.

Uma configuração comum nos PCs para gamers são HDs em RAID, onde dois ou mais HDs Serial ATA são ligados entre si e funcionam como se fossem um único disco. O resultado: melhor desempenho e mais capacidade de armazenamento.

Em games continua valendo a máxima de qualquer computador: quanto mais espaço para storage, melhor.

Placa gráfica
Se o processador é o cérebro da máquina, em um PC para games a placa gráfica é o coração, responsável por dar energia e pulso para todo o resto da máquina.

A placa gráfica é responsável pela renderização dos gráficos e todo o aspecto visual do jogo. Todos os processos envolvidos na visualização e detalhe do jogo são feitos pela unidade de processamento gráfico (Graphics Processing Unit – GPU).

pcgamer150

Além da GPU, as placas gráficas possuem suas memórias, que irão influenciar diretamente no processamento e visualização dos gráficos. Quanto mais memória para a placa de vídeo mais eficiente será o trabalho da GPU.

As placas gráficas evoluíram de interfaces PCI para AGP e para PCI Express, que suportam mais processamento e memória.

A qualidade de uma placa gráfica está na relação entre velocidade da GPU e quantidade e tipo de memória. As placas mais potentes já possuem memórias do tipo DDR3, com 768 MB e 1080 MHz, como a GeForce 8800 GT ULTRA, da NVIDIA.

Tanto a GeForce 8800 como a Radeon HD 3870 são placas gráficas com uma única GPU, mas assim como com os processadores, as placas gráficas já apresentam suas versões "dual".

Como os games adoraram a idéia do multiprocessamento, as fabricantes de placas gráficas trataram logo de atender à essa necessidade e fizeram isso oferecendo placas com duas GPUs ou permitndo ligações entre duas ou mais placas, em SLI (NVIDIA) ou Crossfire (AMD).

A ligação entre as placas faz com que suas GPUs trabalhem em conjunto, ampliando a capacidade de processamento gráfico e compartilhando as memórias.

Este tipo de configuração nada barato e fácil é indicado a gamers profissionais, pois as placas modernas sozinhas já ocupam o espaço de duas no gabinete, o que dirá várias. Sem contar o preço, geralmente salgado.

Um gamer entusiasta, ou mesmo que joga esporadicamente, vai se contentar com uma única placa gráfica mais potente.

Placa de som
Um outro fator fundamental, que muitas pessoas esquecem de trabalhar é o som. Os games exploram muito bem ambientes de som 3D. Uma placa de som com mais canais de áudio, aliada a caixas ou fones potentes podem tornam a experiência do game muito mais completa e realista.

Energia para tudo isso
Todos esses componentes, memórias, processador potente e placas gráficas poderosas exigem uma quantidade enorme de energia. Por esse motivo, se a fonte de alimentação já é um componente de extrema importância em um PC ‘convencional, imagine sua importância em um sistema dedicado a games.

Ela deve ser potente o suficiente para suportar o abastecimento do computador e seus componentes, e ser capaz de suportar uma carga extra proveniente de oscilações no fornecimento de energia elétrica, um dos maiores vilões dos computadores.

O consumo de uma placa gráfica potente pode chegar a picos de 200W. O ideal para um PC voltado a games seriam fontes acima de 550W, para que o jogador tenha segurança. O ideal é escolher uma fonte voltada a sua configuração.

Periféricos e tudo mais
Ok. O equipamento conta com um processador potente, HD rápido e com muito espaço disponível, memória suficiente e uma excelente placa gráfica. É suficiente? Bem, não necessariamente.

Os periféricos primários – mouse e teclado – também influenciam diretamente no uso adequado de um game de última geração. Um bom exemplo diz respeito aos games de tiro.

Um mouse de qualidade nesse tipo de game é fundamental. Os mouses ópticos possuem uma resolução, medida em dpis; quanto maior a resolução maior a sensibilidade do mouse e também sua capacidade em trabalhar com maiores resoluções.

Para uma experiência confortável em shooters mais modernos, como Crysis e Call of Duty 4, um mouse com 2000 dpi irá proporcionar uma jogabilidade confortável.

Outro item importante é o teclado. Os teclados em USB enviam os comandos com maior velocidade para o PC, reduzindo muito o tempo de resposta para escapar de uma granada, por exemplo.

Não discuide, também, do monitor, principalmente os de LCD. Esses equipamentos possuem uma taxa de atualização (refresh) e vale a seguinte continha básica: quanto maior a taxa de atualização mais rápido é o processamento de imagens, portanto, melhor o resultado final.

Um monitor com uma taxa de atualização muito baixa, acaba gerando "fantasmas" em games e filmes. Outro item para ser observado no monitor é a sua resolução máxima. Quanto maior a resolução, melhor e mais caro o monitor.

Gamer PC versus Console
Apesar de cruéis, comparações são inevitáveis. Os consoles de última geração, como Wii, PS3 e Xbox 360 conseguem oferecer uma grande qualidade a preços relativamente baixos, se comparados aos 7 mil a 10 mil reais dos PCs para gamers.

Vendo por esse lado, vale a pena gastar muito para jogar em um PC? Não há uma resposta definitiva para isso e o mais adequado seria dizer: depende do jogador, já que o PC e o console oferecem experiências muito diferentes.

Um console trabalharia com muito mais facilidade um game como Guitar Hero, mas ficaria devendo muito em um simulador de vôo ou game de estratégia, que exigem o acesso de muitos comandos de maneira rápida, o que se torna complicado em um controle.

Outra experiência diferente diz respeito aos games de tiro. Em terceira pessoa (ou seja, a visualização do jogador por um observador externo), os consoles oferecem um controle mais dinâmico, como para GTA, mas em games em primeira pessoa, o mouse é um diferencial muito grande. Principalmente em jogos que exigem velocidade e precisão, como Counter Strike, Battlefield, etc.

Basta avaliar seu bolso, que tipo de gamer é você e se preparar para a diversão.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s