Como será o PC do futuro? Descubra as novidades que estão por vir

Por Redação da PC WORLD (EUA)

Chips absurdamente rápidos, displays flexíveis, projetores de bolso… A tecnologia do amanhã mudará tudo sobre computação

computador_futuro_150
O
ritmo do dia-a-dia pode ser agitado, mas o compasso da inovação é
absolutamente frenético. Tecnologias nem imaginadas há poucos anos
estão prontas para mudar a cara da computação, à medida que aparelhos
digitais continuam se infiltrando em cada aspecto de nossas vidas.

O mundo da ficção científica está rapidamente se tornando realidade,
desde os tampos de mesa que carregam a bateria do seu laptop sem usar
fios a PCs embutidos na parede que reconhecem seu rosto e seus gestos.
Graças a uma revolução na miniaturização, você poderá guardar no seu
bolso produtos que um dia não couberam na sua mochila, como projetores
e impressoras de fotos.

Nas páginas a seguir, destacamos uma série de grandes inovações,
desde algumas que você já acha na esquina de casa, até outras que não
devem aparecer antes de 2012.

Dê adeus ao fio elétrico
Você mal pensa duas vezes para
conectar seu laptop com wireless à internet, mas ainda precisa se
atrapalhar com um fio de eletricidade quando a bateria acaba. Que
esquisito. Em breve, todo esse incômodo não vai passar de uma nota de
rodapé no livro de história do seu neto, à medida em que recarga de
energia sem fio for chegando ao mercado.

O que é? Atualmente, existem duas maneiras de realizar
recarga de energia sem fio. A carga por indução funciona quando unimos
a ressonância do campo eletromagnético do dispositivo de carga à da
bateria, permitindo a esta ser carregada em uma pequena brecha física. pc_futuro3_150

Em contrapartida, a carga por condução passa eletricidade
diretamente entre duas superfícies em contato. Qual dos dois métodos
vai prevalecer ainda não se sabe, mas em ambos os casos você poderá
simplesmente posicionar seu laptop, celular ou MP3 player em um
dispositivo universal de carga sem fio que vai imediatamente começar a
abastecê-lo.

Quando chegará? No ano que vem, tanto a carga por indução
quanto por condução estarão no mercado, mas a maioria dos aparelhos vai
precisar de um adaptador de cerca de 30 dólares para funcionar. A WildCharge espera lançar seu primeiro notebook com carga por indução no meio de 2008, enquanto a
eCoupled

pretende colocar sua tecnologia de indução em carros, bancadas e
superfícies de mesas em 2009. A carga de energia wireless deve ser um
lugar-comum lá por 2010, depois de as maiores empresas de telefones e
laptops terem sinalizado que vão se adaptar.

computador_futuro_150
Imprime de qualquer lugar (e qualquer coisa)

Esqueça
de ter que voltar para casa para imprimir suas fotos ou encomendar
impressões online. A próxima geração de aparelhos móveis virá com sua
própria impressora embutida.

O que é? A Zink (sigla para Zero ink) Imaging está
trabalhando em uma nova maneira de fazer papel fotográfico. O papel
‘Zink’ tem um substrato cristalino entre duas camadas que se colore
quando passa no meio de uma finíssima impressora. As impressoras são
tão pequenas que você pode colocá-las facilmente no seu bolso. Elas
podem tranqüilamente ser embutidas em câmeras, laptops e outros
aparelhos.

Quando chegará? Em 2008, a Zink fará uma parceira com uma
grande fornecedora de câmeras (o nome ainda não foi anunciado) para
lançar a primeira câmera de bolso digital com uma impressora embutida.
Ao mesmo tempo, a companhia começará a vender uma pequena impressora de
mão (por cerca de 99 dólares) para câmeras de celular. Dois ou três
anos depois disso, a tecnologia pode estar integrada a laptops e outros
aparelhos móveis.

Grandes imagens embutidas
"Gráfico compartilhado" por
muito tempo foi sinônimo de "gráfico lento". Mas em breve a frase vai
ter um significado totalmente novo, graças a novas CPUs com hardware
gráfico poderoso instalado.

O que é? A aquisição da ATI pela AMD trouxe a rivalidade da
companhia com a Intel – que já fazia suas próprias placas gráficas
básicas – para um novo nível. A partir de então, os dois competidores
trabalharam para resolver o descompasso entre CPUs e processadores
gráficos.

Construir a funcionalidade de processamento gráfico diretamente em
uma CPU elimina o atraso que você teria quando os dados passam entre a
CPU e a GPU através do sistema de barramento (bus). Essa combinação
CPU/GPUs vai caracterizar o suporte e aceleração do DirectX 10 para o
Blu-ray e o HD-DVD. Ao mesmo tempo, vai consumir substancialmente menos
energia, solicitando menos espaço na placa-mãe e terá um desempenho
significativamente melhor.

Quando chegará? A Intel planeja colocar em produção seu
processador de gráficos integrado Nehalm este ano, começando por uma
linha de chips para servidores. A AMD pretende lançar sua plataforma
integrada de notebook Puma na mesma época.

Em 2009, a Intel trará seus chips gráficos integrados para desktops
e notebooks, enquanto o Puma da AMD deve estar nos desktops em 2010.

Telas dobráveis
Quanto menores e mais potentes ficam
alguns aparelhos, mais difíceis eles se tornam de usar. Minitelas não
dão conta quando você quer fazer um trabalho real. Mas se seu telefone
ou PDA vier com uma tela extensível, você poderá trabalhar
confortavelmente sem sacrificar a mobilidade.pc_futuro2_150

O que é? Fabricantes de telas fazem o tradicional LCD como um
sanduíche de cristal líquido entre camadas de vidro, colocando
eletricidade nisso tudo depois. Substituir o vidro por plástico torna
as coisas mais maleáveis. Inicialmente desenvolvido pela E Ink e pela Philips,
o chamado papel eletrônico comprime diodo orgânicos emissores de luz
(OLED por sua sigla em inglês) no meio de camadas muito finas de
polímeros, permitindo enorme flexibilidade.

Diferentemente dos tradicionais LCDs, essas telas ultrafinas são
completamente à prova de choque e podem ser transformadas até em um
rocambole bem enrolado. O resultado é um monitor amplo que você pode
carregar no bolso e usar em qualquer lugar. Melhor ainda, essas telas
serão mais baratas e mais fáceis de fabricar do que os atuais telas
planas – elas serão simplesmente impressas diretamente sobre chapas de
plástico.

Quando chegará? As primeiras gerações de telas flexíveis já
estão por aí – elas apenas não são tão maleáveis assim por enquanto. E
o papel eletrônico da E Ink pode ser achado nos produtos não-flexíveis
de hoje, como o Sony Reader e o Motorola
Motofone F3. A primeira tela verdadeiramente flexível, criada pela Polymer Vision,
da Philips holandesa, vai chegar ao mercado em 2008: um telefone
celular da Telecom Itália vai levar ao mundo a primeira tela extensível
da Polymer Vision. Ainda sob segredo, o aparelho (sem preço definido)
deve oferecer uma tela monocromática, flexível, de 5 polegadas e de 320
por 240 pixels. Lá por 2010, a Polymer espera disponibilizar telas
maiores, coloridas e com melhor resolução.

Os primeiros net phones de verdade
Simples chamadas sem
fio satisfizeram usuários durante a primeira geração de telefones
celulares, mas a segunda geração (2G) tornou as coisas muito mais
interessantes com a introdução de mensagens SMS e navegação na Internet
via WAP.

A geração 2,5 acrescentou fotos e vídeos, mas a uma velocidade que
mais parecia com conexão discada do que banda larga (esse é o principal
problema com o serviço de dados do iPhone). Com a 3G, as conexões de
banda muito larga tornaram os recursos multimídia do 2,5G algo
finalmente agradável. E a 4G vai ser ainda muito mais interessante.

computador_futuro_150
O que é?

A diferença fundamental entre a quarta e a terceira geração é a maneira
com que as coisas trafegam na rede. Até agora, a maioria das redes de
telefonia (exceto para o VoIP) formavam um circuito dedicado, isto é,
um circuito era ativado entre os usuários. Esse método superado coloca
as ligações de voz todas em uma categoria própria, distinta das
conexões de dados, impedindo que um celular transmita voz e dados
simultaneamente.

Redes 4G serão baseadas em protocolo internet (IP), como todo o
tráfego na internet. Isto significa não apenas que você poderá falar e
escrever texto ao mesmo tempo, mas também que seu aparelho poderá fazer
muito mais nas redes do que hoje. Redes de celulares com IP vão
funcionar mais como provedores de acesso, permitindo maior
flexibilidade em rodar dados de aplicativos. Praticamente qualquer
aparelho eletrônico poderá se conectar à rede.

Quando chegará? As quatro maiores empresas de wireless dos
EUA estão apenas esboçando a superfície do que suas redes 3G podem
fazer, e a maioria dos consumidores parece desinteressada em um fluxo
de dados mais avançado. Mas a tecnologia propulsora da 4G, o WiMax,
existe agora e está crescendo aos poucos nas redes de grandes empresas
e companhias de telecom.

O WiMax em si não é uma tecnologia de celular, no entanto, e antes
que uma quarta geração de redes de celulares possa se desenvolver, a
indústria vai precisar achar uma nova base de protocolos de
telecomunicação para se basear. Enquanto usuários de negócios aumentam
sua demanda por um mais desenvolvido serviço de dados wireless, as
empresas de celular começarão a implementar redes que ofereçam serviço
4G. Nós esperamos os primeiros telefones para 2011.

Que venha o chip de oito núcleos
Não há muito sentido em
aumentar a velocidade dos processadores se o barramento de dados não
puder agüentar o tráfego. Desde que problemas com os transistores (que
demandam mais energia) também pioram à medida que a velocidade do clock
aumenta e a CPU diminui, tanto AMD quanto Intel decidiram focar no
aumento de núcleos dos processadores em vez de aumentar sua velocidade.

O que é? A peça principal de qualquer CPU é o núcleo do chip,
que é responsável pelos cálculos reais que fazem seus softwares
rodarem. Colocar vários núcleos em um só processador aumenta
vertiginosamente o número de cálculos realizados, sem ter que aumentar
a velocidade de clock. Mantendo a velocidade relativamente baixa
enquanto se aumenta o número de cálculos feitos simultaneamente, os
fabricantes de processadores trouxeram o inevitável problema de
superaquecimento, associado com a maior velocidade dos clocks.

computador_futuro_150
E
quanto mais núcleos o fabricante aglutinar em um chip, mais rápido a
CPU trabalha. A melhoria de performance não é diretamente proporcional,
no entanto: o Intel de quatro núcleos de 2,66 GHz Core 2 Quad Q6700 se
sai apenas 26% melhor que o de dois núcleos Core 2 Duo E 6700 em certos
aplicativos, de acordo com a empresa.

Quando chegará? Antes de a AMD vender seus chips de oito
núcleos para desktops, ela precisa disponibilizar o chip Phenom de
quatro núcleos em 2008. A Intel vende seus processadores quad-core para
desktops há cerca de um ano e já anunciou chips de oito núcleos para
servidores em 2008. Aguarde o "OctoCore" para 2010.

Coloque sua TV em qualquer lugar
Apesar da revolução
wireless acontecendo em todos os lugares da sua casa, a TV de alta
definição continua infelizmente no mesmo lugar, conectada a um fio. Não
seria demais poder colocar a TV onde quisesse, sem se preocupar com o
emaranhado de cabos e continuar com a melhor qualidade de imagem? Em
breve você poderá fazer tudo isso.

O que é? Wireless High Definition Interface (WHDI) é um
substituto sem cabos do HDMI que usa um transmissor de rádio de 5 GHz
para enviar um sinal de vídeo de alta definição de 1080p, a 30 quadros
por segundo (fps) de algum aparelho equipado com WHDI (set-top-box, DVD
player ou videogame, por exemplo) para uma TV também equipada com a
tecnologia WHDI, a uma distância de até 30 metros. Como os dois tipos
de sinais são compatíveis, você poderá comprar um modem HDMI sem fio
para os aparelhos de entretenimento que você já possui – e isso
significa que você finalmente poderá colocar seus móveis nos lugares
onde você realmente queria, sem ter que fazer emenda de cabos
adicionais.

Quando chegará? A Amimon, que fabrica o chip WHDI, lançou a
tecnologia para os fabricantes de eletrônicos no fim de agosto. Agora,
a corrida já começou para trazer a alta definição sem fio para o
mercado. Fabricantes de TV demonstram alguns modelos, e os amantes da
tecnologia devem colocar as mãos na novidade no começo do ano que vem.

Espera-se que a WHDI aumente em 200 dólares o preço de uma
televisão. Modems WHDI para os aparelhos atuais vão custar até 400
dólares vendidos aos pares.

Cinco terabytes por drive
Fotos, filmes, música, e um fluxo gigante de e-mails
podem abarrotar o HD
antes que você perceba. Mas não se preocupe: discos maiores estão a caminho.

O que é? A tecnologia de Heat-Assisted Magnet Recording
(HAMR) usa lasers para esquentar a superfície do disco de um drive,
tornando possível reunir um terabyte de informação em uma simples
polegada quadrada do disco, praticamente o dobro da atual capacidade.
Quando a cabeça de leitura e gravação do drive funciona, entra em ação
um feixe de laser que atinge a superfície do prato, desestabilizando as
partículas de ferro e platina. Com a placa aquecida, o cabeçote pode
manipular a superfície em
uma escala muito mais refinada – em apenas
dezenas de nanômetros – permitindo que se amontoem enormes quantidades
de informação em um espaço minúsculo. Poucos nanosegundos após o
trabalho ser feito, a superfície esfria para uma longa estabilidade.

computador_futuro_150
A
maneira que os dados são organizados também vai mudar: em vez de se ter
uma distribuição arbitrária de setores, drives HAMR funcionarão com as
partículas naturais da superfície do disco, organizando dados em
conjuntos magnéticos que se distribuem sozinhos e permitem a criação de
bits de dados em cada partícula da superfície da placa.

Quando chegará? A HAMR é ainda só um projeto de pesquisa, mas
deve chegar aos mercados nos próximos anos. A Seagate espera introduzir
HDs HAMR de 5 TB por volta de 2011, e pensa em uma capacidade de até
37,5 TB nos anos seguintes.

Por um internet melhor
TCP/IP, a tecnologia na qual toda
a internet se baseia, não é novidade. A atual versão de protocolo de
internet, a IPv4, já está aí há mais de 25 anos. A velha tecnologia
sofre com algumas limitações – incluindo falta de endereços para todos
os computadores que a utilizam. O IP versão 6 vai mudar isso.

O que é? Diferentemente do IPv4, que usa endereços de 32
bits, como 155.54.210.63, o IPv6 usa 128 bits, como
2001:0ba0:01e0:d001:0000:0000:d0f0:0010. Essa pequena mudança permite a
todos os computadores do mundo terem um único endereço IP.

Além disso, o IPv6 investe em criptografia e autenticação, permitindo uma comunicação mais segura.

Quando chegará? O IPv6 já está aqui agora e já há alguns
anos, mas ninguém usa porque o hardware necessário continua mais caro
do que o usado para o Ipv4. Além disso, poucos administradores de rede
estão treinados para utilizá-lo. No entanto, o governo dos Estados
Unidos anunciou que vai mudar todas as suas redes para IPv6 na metade
de 2008, o que significa que a tecnologia deve chegar com folga, antes
que os endereços disponíveis em IPv4 se esgotem, em torno de março de
2011.

Um computador em cada superfície
A idéia de manipular
imagens em uma tela, movendo um aparelho – um mouse – em uma mesa, era
revolucionária quando Douglas Engelbart a introduziu em 1964. Mas, por
melhor que funcione, o mouse ainda é um suplente para uma interface
humana mais natural, a ponta dos dedos. Nos próximos anos, uma nova
categoria de PCs deixará seus dedos mandarem em tudo.

O que é? A computação de superfície (surface computing) volta
ao básico, permitindo que você se reúna ao redor de uma mesa com alguns
amigos para um pouco de uma boa e velha interatividade. Computadores
sem mouse permitem que múltiplos usuários trabalhem com dados
projetados na superfície de uma mesa apenas tocando objetos na tela com
seus dedos. Várias empresas estão trabalhando com essa tecnologia, mas
dois destaques são o Surface PC, da Microsoft,
e o DiamondTouch, da Mitsubishi Eletronic. O Surface PC utiliza
projeção interna para mostrar uma imagem na superfície da mesa a partir
de dentro, enquanto cinco câmeras monitoram os movimentos dos dedos na
tela. O DiamondTouch projeta a imagem por cima da tela e usa tecnologia
semelhante à dos notebooks sensíveis ao toque para seguir seus dedos.

Quando chegará? O DiamondTouch ainda está sendo pesquisado e
desenvolvido, mas o Surface, da Microsoft, chegará este ano a hotéis,
cassinos ou mesmo lojas. A primeira geração do Surface PC será
estritamente para demonstração em locais públicos, mas a Microsoft
pensa em disponibilizar uma versão para salas de reunião de negócios em
2010. Usuários de casa terão acesso a ele daqui a 3 ou 5 anos.

computador_futuro_150
Coloque seus dados em uma via rápida

À
medida que as CPUs ficam mais potentes e placas gráficas chegam a
níveis inéditos de detalhes, um gargalo significativo permanece quanto
ao fluxo de dados do PC: o barramento do sistema. Quando os dados
viajam por seu PC, é ele – e não o chip – que limita o desempenho. É
preciso barramento mais rápido.

O que é? A PCI Express (PCIe) é a melhor arquitetura de
barramento de dados para hardwares de última geração. A atual
especificação, versão 2.3, oferece transferência de dados a uma taxa de
5,2 gigabits por segundo (Gbps). A próxima geração, PCI 3.0,
disponibilizará uma taxa de transferência de 8 Gbps. E além de suportar
uma performance muito melhor da GPU, um dos principais benefícios da
PCIe 3.0 pode ser a habilidade de potencializar placas de vídeo
diretamente do system bus.

Quando chegará? O PCI-SIG, grupo que cuida das especificações
da arquitetura PCI, espera liberar os detalhes finais da PCIe 3.0 em
2009. As placas devem estar no mercado em 2010.

Apresentações de bolso
Assistir a vídeos em um celular é
um sacrifício. A minúscula tela torna difícil curtir o que se vê. Em
não muito tempo, você verá shows no tamanho adequado novamente, graças
a seu celular com projetor.

O que é? A Microvision Pico projetores usa tecnologia de digitalização de luz para gerar uma imagem completa e colorida a partir de um feixe.

Dentro do aparelho, é embutido um laser vermelho, verde ou azul,
que, projetado, oscila vertical e horizontalmente para representar a
imagem pixel por pixel, produzindo uma cena maior. Ela é exibida em uma
parede ou outra superfície (de até 120 polegadas, a uma distância de
3,7 metros em uma sala escura). Usando um simples feixe de luz, ao
invés de três feixes, a Microvision é capaz de tornar os projetores
menores o suficiente para caber em um celular, sem aumentar
substancialmente o tamanho do telefone.

Quando chegará? A Microvision fez uma parceria com a Motorola
para fabricar o projetor Pico em telefones celulares, e o primeiro
modelo está previsto para 2009. Até lá, a empresa está desenvolvendo um
projetor/acessório para PCs e consoles de videogame que deve estar
disponível em 2008. Projetores embutidos devem encarecer em 150 dólares.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s