Faça um inventário em seu computador

Por Nando Rodrigues, da PC WORLD
 

Conhecer o hardware e as versões dos programas instalados permite analisar os investimentos que a empresa deve fazer

Você é capaz de dizer, com precisão, o modelo de motherboard ou ainda o fabricante e a velocidade do processador que está instalado em cada um dos computadores de sua empresa?

Sabe informar a quantidade e o tipo de memória existente em cada PC? Qual a marca e a capacidade dos discos rígidos? A velocidade da placa Ethernet? Se o Windows foi atualizado? Qual é o software antivírus? Você tem firewall?

Pois saiba que conhecer o inventário de tecnologia que sua empresa possui pode ajudar na hora de tomar decisões sobre quanto e em que investir os recursos, nem sempre disponíveis, para melhorar sua competitividade e a produtividade dos funcionários.

PC WORLD apresenta aqui algumas ferramentas muito úteis que vão auxiliar na identificação dos principais componentes existentes nos computadores, além dos softwares instalados e respectivas versões.

De posse destes dados, será possível verificar junto os fabricantes se existe a possibilidade de upgrade ou se o melhor a fazer é trocar o equipamento.

Das ferramentas gratuitas disponíveis para download, o System ANalyser Diagnostic and Reporting Assistant – codinome SANDRA, desenvolvido pela SiSoftware, talvez seja a mais completa.

Ele possibilita fazer um levantamento profundo do PC, com detalhes sobre o processador, chipset e demais placas instaladas, portas disponíveis e possíveis periféricos, como impressoras e discos externos. Também faz uma boa análise dos programas instalados.

Outra opção é o PC Wizard 2007, desenvolvido pela CPUID.org. Como o SANDRA, ele traz recursos para verificar tanto a parte de hardware quanto os softwares existentes no computador.

Infelizmente, as duas ferramentas estão em inglês e o SANDRA impõe uma restrição ao uso não pessoal da ferramenta: as funcionalidades estarão disponíveis por um período de 27 dias, o suficiente para a realização do inventário.

Análise do hardware
Ambos os utilitários têm funcionalidades semelhantes e interfaces amigáveis. Para evitar confusões, escolhemos detalhar apenas o SANDRA, mas o usuário não encontrará problemas em usar o PC Wizard.

O menu de abertura (figura 1) do utilitário é uma espécie de central de controle. Ele dá acesso a todas as funcionalidades que vale a pena explorar, como a verificação do desempenho geral do sistema.

 

Vamos nos concentrar na elaboração do inventário, e mostrar o funcionamento das opções de hardware e software.

Para obter um perfil detalhado do sistema, clique na aba Hardware ou de um duplo clique no ícone com o mesmo nome, localizado na parte inferior da janela principal. O utilitário oferece dois modos de verificação: resumido ou detalhado.
Se clicar em Computer Overview, o utilitário realizará uma varredura completa no sistema, além de gerar um relatório consolidado dos diversos componentes (figura 2).

 

Para obter informações com um nível de detalhamento mais aprofundado, será necessário selecionar o componente a avaliar.
Dê um duplo clique, por exemplo, em Motherboard. Observe que o relatório gerado (figura 3) apresenta um número muito maior de informações.

No exemplo apresentado, veja que o computador possui quatro slots de memória, com capacidade máxima de 4 gigabytes, dos quais apenas um está ocupado, com 512 MB.

Se rolar a tela de resultados até encontrar informações sobre o slot de memória ocupado (figura 4), verá informações sobre o fabricante, tipo e velocidade da memória. Utilize-as quando for adquirir novos módulos para aumentar a capacidade do sistema.

 

Algumas placas-mãe permitem o uso de outros pentes de memória, às vezes com desempenho superior. Faça uma busca no site do fabricante da motheboard para verificar essa possibilidade.

Dependendo do chipset instalado, pode-se fazer upgrade do processador e melhorar a performance geral do sistema. Identifique o chipset que o computador possui e e verifique no site do fabricante os modelos de processador que ele suporta.

Perceba que alguns chipsets permitem utilizar mais de uma família de processadores e, cada uma dessas famílias oferece características e velocidade de clock diferentes.

Procure identificar o que é melhor para cada caso. Computadores que são utilizados para atividades básicas, como navegar na internet, preparar documentos de texto, enviar e receber e-mail podem ter o desempenho melhorado com o aumento da quantidade de memória.
Caso o sistema seja utilizado para planilhas de cálculo mais complexas, manipulação de arquivos multimídia e jogos, será necessário atualizar também o processador e pensar na aquisição de uma placa gráfica.

Aproveite para verificar seu disco rígido, cujos dados são obtidos com um duplo clique no ícone Physical Disks.

O utilitário vai apresentar informações sobre o tipo do HD, sua classificação pelo sistema – primário (ou master) ou escravo (slave) –, tipo e capacidade, entre outras (figura 5).

 

Em conjunto com as ferramentas do Windows, como o Windows Explorer, por exemplo, clique em Propriedades e verifique o espaço livre disponível na unidade e também a fragmentação dos dados. Caso seja necessário, veja aqui como desfragmentar seu HD.

Como o Windows utiliza o espaço disponível em disco para paginar a memória do computador e liberar espaço para outros processamentos, se o sistema tiver pouco espaço livre no HD ou este estiver muito fragmentado, o desempenho desse processo (denominado swap) será menor, tornando o sistema mais lento.
Uma última consideração: para equipamentos mais antigos, digamos com três ou mais anos de uso, será difícil encontrar componentes para um upgrade.

Muitos processadores já não são fabricados mais, sua disponibilidade é restrita e o preço, mais alto.

Em alguns casos, apenas componentes usados podem ser encontrados. O melhor a fazer, então, é investir em um equipamento novo.

Como fica o software?
Inovações tecnológicas, correção de problemas relacionados a bugs ou falhas da segurança levam os desenvolvedores a oferecer novas versões ou patches dos programas de computador.

Caso o sistema ou aplicativo não esteja configurado para baixar e instalar atualizações automaticamente, é bem provável que você tenha de fazer isso na mão.

Para começar, identifique o que está instalado no sistema. Clique na aba Software e dê um duplo clique no ícone Operating System. De todos os processos executados até agora, este é o mais demorado.

Dependendo da configuração do computador, ele pode levar vários minutos para ser completado.

O levantamento identifica o sistema operacional e outros componentes de software imprescindíveis para o funcionamento do computador, tais como bibliotecas de run-time, programas-padrão (navegador, cliente de e-mail, programas de segurança, entre outros) e o relatório gerado aponta a versão instaladade cada um deles (figura 6).

Cheque, no site do fornecedor de cada aplicação, a existência de atualizações que devem ser feitas (e se tem direito a ela; alguns fornecedores não permitem upgrades de cópias não autorizadas de seus produtos) e instale-as o quanto antes.

Este é um bom momento para colocar a casa em ordem quanto ao licenciamento dos softwares instalados.

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s