Nenhum sistema está a salvo de vírus

Por Andrew Brandt – PC World (EUA)

Novos malwares mostram que todo sistema operacional está sujeito a infecções

Nível de perigo: Alto
Probabilidade: Baixa
Alvo: Usuários de Windows, Mac e Linux

Enquanto usuários de Windows sofrem incessantes ataques que exploram falhas no sistema da Microsoft, proprietários de máquinas que rodam Mac OS e Linux parecem viver numa ilha de tranqüilidade. Porém, saiba que estes sistemas operacionais também têm de lidar com seus próprios problemas – e esta é uma tendência cada vez maior. 

As cerca de 70 brechas de segurança encontradas no Mac OS X o tornaram vulnerável ao ataque de criminosos. Uma destas fraquezas foi explorada em fevereiro e originou o primeiro ataque de malware ao OS X Tiger – foi o célebre worm do messenger Oompa-loompa.

Desta forma, se usuários do Internet Explorer já estavam acostumados a ouvir relatos de novos bugs no navegador que permitiriam “execução remota de códigos” (ou seja, possibilitar que o seu PC seja controlado por um invasor), proprietários de Mac agora passam a ter a mesma preocupação – uma das mais três maiores e mais recentes correções de software da Apple cobria uma destas falhas no Safari, o navegador da empresa.

Até o Linux teve ocorrências do gênero. Entre 2004 e 2005, dobrou o número de programas maliciosos que ameaçam o sistema. Os rootkits, que já atormentavam os PCs que rodavam Windows, também atacam os sistemas operacionais Unix e tiram o controle da máquina das mãos de seu usuário principal.

O mais recente desdobramento desta tendência é o surgimento dos malwares do tipo “cross-platform”: programas que conseguem, sozinhos, atacar dois ou mais sistemas operacionais.

Um vírus desta espécie, que prejudica tanto o Windows como o Linux, apareceu em abril. Criado pela desenvolvedora de softwares de segurança Kaspersky, o vírus não solicita pagamentos e nem causa danos. Conhecido como Vírus.Linux.Bi ou Vírus.Win32.Bi.a, ele infecta apenas um tipo de formato de arquivo do Linux (ELF) e do Windows (PE).

O malware é baseado em elementos antigos do Linux que não aparecem nas versões mais recentes do sistema. Mas, ainda assim, chamou a atenção de Linus Torvald, criador do Linux, que viabilizou uma correção.

A onipresença do Windows facilita a atuação de malefícios que visam uma das muitas brechas do sistema. Porém, a popularização dos sistemas operacionais antes “alternativos” os torna alvos cada vez mais atraentes.

A abundância de brechas em sistemas

O número de avisos de segurança divulgados para os sistemas citados mostra que a Microsoft não está mais sozinha no campo das vulnerabilidades, mas a Apple se mostra mais ágil na correção destas falhas.

Como se defender

– Considere utilizar um antivírus para Mac ou Linux, como os da Panda para o Linux ou os produtos para Mac oferecidos por empresas como a Symantec. Desta forma, além de se proteger, você ajuda a diminuir o fluxo de vírus do Windows.

– Qualquer que seja o seu sistema, mantenha-o atualizado e sempre corrigido.

– Leia bons conselhos, dicas e reviews de produtos relacionados à proteção de sistemas no Infocenter de Segurança e no blog Security World.

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s